Você está aqui: Página Inicial > Notícias > ​Contribuições ambientais da ZFM são destacadas durante a 288ª Reunião do CAS

Notícias

​Contribuições ambientais da ZFM são destacadas durante a 288ª Reunião do CAS

Durante encontro do colegiado, foram aprovados vinte e seis projetos industriais e de serviços, sendo cinco de implantação e 21 de diversificação, ampliação ou atualização, com previsão de geração de US$ 133.63 milhões em investimentos totais e de 864 novos empregos no Polo Industrial de Manaus.
por Diego Queiroz publicado: 26/09/2019 16h46 última modificação: 26/09/2019 18h00

Vinte e seis projetos industriais e de serviços, sendo cinco de implantação e 21 de diversificação, ampliação ou atualização, com previsão de geração de US$ 133.63 milhões em investimentos totais e de 864 novos empregos no Polo Industrial de Manaus (PIM) nos três primeiros anos de operação, foram aprovados, nesta quinta-feira (26), durante a 288ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da Suframa (CAS).

Realizada no auditório da Autarquia, a reunião teve ainda como destaques debates sobre as contribuições do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) para a preservação da Amazônia, a importância da defesa das vantagens comparativas da ZFM nas discussões em torno da reforma tributária e a necessidade de fortalecimento da infraestrutura logística e de telecomunicações da região, como forma de possibilitar a manutenção de investimentos e ampliar a competitividade das empresas instaladas no PIM.

A solenidade foi presidida pelo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa, e contou ainda com a participação do governador do Amazonas, Wilson Lima, do prefeito de Manaus, Arthur Neto, do vice-governador do Acre, Major Rocha, do superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva, e de demais representantes de entidades de classe, dirigentes de órgãos públicos, parlamentares e empresários, entre outros.

Centro de sustentabilidade
O titular da Sepec, Carlos da Costa, afirmou que, neste momento em que as atenções mundiais estão voltadas para a Amazônia por conta da temática ambiental, a Zona Franca de Manaus tem uma grande oportunidade de buscar reconhecimento como maior projeto sustentável do planeta e de agregar valor estratégico em seus produtos. “O momento da região é muito feliz, porque, já que todo mundo está nos olhando, vamos mostrar como somos belos e como temos um modelo que deveria ser seguido por outros países”, afirmou o secretário.

Ele também mencionou que o governo federal está construindo, junto ao Inmetro, uma espécie de “certificação de pegada carbônica”, visando a demonstrar os impactos ambientais positivos dos produtos brasileiros e, em especial, dos produtos fabricados na ZFM. “A ideia é poder ter mecanismos de comparação e comprovação de que, se o desejo é mesmo pela preservação ambiental, os nossos produtos deveriam ser priorizados no mercado. Está na hora de dizermos: compre um celular, uma televisão, uma moto ou outro item fabricado na Amazônia e preserve ‘x’ árvores, porque eles foram feitos no maior projeto sustentável do mundo. Este é o momento de nos mostrar ao mundo com coragem porque somos exemplos” complementou.

Entre outros assuntos abordados pelo secretário, ele afirmou, ainda, que o Brasil está saindo da crise de maneira sustentável, com base em mudanças estruturais, esforços de simplificação e melhoria do ambiente de negócios, e voltou a comentar sobre a visão de futuro do governo federal para o desenvolvimento da região, que inclui não apenas o fortalecimento da dinâmica industrial do modelo ZFM, mas a efetiva implementação do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) com foco na geração de negócios e o sonho de transformar a região no maior polo de bioeconomia e economia sustentável do mundo. “Não queremos substituir o que existe hoje, e sim ampliarmos o modelo naquilo que faça sentido para a região, naquilo em que possamos ser o melhor do mundo”, disse o titular da Sepec. “Entre todas as possibilidades e cenários da reforma tributária, deixamos claro que o governo respeita e reconhece a importância da Zona Franca de Manaus e vamos preservar os incentivos de forma suficiente para que seja possível manter as empresas e atrair outras para cá. Vamos trabalhar juntos para ter marcos estáveis”, reforçou.

Crescimento
O superintendente Alfredo Menezes, além de agradecer publicamente o prefeito de Manaus, Arthur Neto, pelas obras de revitalização do Distrito Industrial que estão em andamento, destacou também os números do CAS neste ano que, em apenas duas reuniões, contabiliza 113 projetos de investimentos aprovados, estimando mais de cinco mil empregos diretos, US$ 800 milhões em investimentos totais e a injeção de faturamento da ordem de aproximadamente US$ 6 bilhões no PIM ao longo dos próximos três anos. “Nesta reunião temos investimentos importantes em segmentos representativos do PIM, como o Polo de Duas Rodas, que está em um momento muito bom neste ano, e o polo componentista. Os indicadores de desempenho do PIM mais recentes também mostram que ampliamos o faturamento em cerca de 11% no primeiro semestre e, além disso, os números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) indicam uma geração de empregos no Amazonas acima da média nacional. Todos esses dados mostram que estamos em um momento muito satisfatório de crescimento e de ações que retornarão em benefício da população”, afirmou.

Menezes também renovou o convite da Suframa para a 1a edição da Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (fesPIM), que será realizada no final de novembro, em Manaus, e destacou que a Autarquia foi convocada a integrar comitiva presidencial que visitará países como China e Japão na segunda quinzena de outubro. Por fim, ele também informou que a Suframa está em negociações com a ApexBrasil para desenho de uma parceria estratégica que estreite laços entre a região e mercados estrangeiros e possa, de fato, impulsionar a captação de investimentos internacionais.