Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Abraciclo apresenta demandas do setor de Duas Rodas à SUFRAMA

Notícias

Abraciclo apresenta demandas do setor de Duas Rodas à SUFRAMA

Durante reunião, estudos e propostas que busquem garantir a competitividade da indústria, seja ela fabricante de bens finais, seja componentista, foram apresentados.
por Márcio Gallo publicado: 28/01/2016 17h51 última modificação: 29/01/2016 17h06

Diante dos impactos ocasionados pelo atual cenário econômico nacional no segmento de Duas Rodas – cuja produção se concentra no Polo Industrial de Manaus (PIM) –, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) e representantes de empresas associadas reuniram-se na tarde desta quinta-feira (28) com a superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, na sede da autarquia, a fim de apresentar estudos e propostas que busquem garantir a competitividade da indústria, seja ela fabricante de bens finais, seja componentista.

O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, iniciou sua apresentação abordando o panorama da indústria de Duas Rodas, demonstrando a evolução do segmento nos últimos 10 anos e as dificuldades enfrentadas, em especial a partir de 2011. Os estudos feitos pela associação demonstram que é preciso a tomada de ações para garantir e aumentar a competitividade e assegurar os empregos do setor.

O levantamento apresentado pela Abraciclo dá conta, ainda, das principais dificuldades que devem ser enfrentadas, entre as quais a revisão do modelo de comercialização, adequando-o à nova realidade de mercado. A logística de distribuição dos produtos oriundos do PIM também foi abordada por Fermanian, que destacou os benefícios dos entrepostos em outras regiões do País. “O desenvolvimento dos entrepostos é algo que pode beneficiar as empresas do setor, em especial no que tange ao atendimento ao consumidor final”, disse.

A superintendente Rebecca Garcia aproveitou a oportunidade para destacar o trabalho que vem sendo realizado pela SUFRAMA e pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) no sentido de dar maior enfoque à pauta de exportação do Brasil, com destaque às empresas instaladas na Zona Franca de Manaus (ZFM). “Hoje mesmo, técnicos da autarquia estão em Brasília participando da primeira reunião do Grupo de Trabalho designado especificamente para lidar com as pautas do modelo Zona Franca de Manaus. Esta foi uma proposta do próprio governo, atento às necessidades e dificuldades da indústria. E o comércio exterior é algo que temos direcionado grande atenção, tendo em vista o potencial que podemos explorar”, comentou Rebecca.

Marcos Fermanian concordou que é preciso explorar a questão, em especial por conta da atual taxa cambial, e acrescentou que é preciso discutir uma série de aspectos a serem desenvolvidos para concorrer com a indústria asiática, cujo baixo custo se contrapõe ao chamado Custo Brasil. “Isso faz com que o preço de produtos brasileiros ainda não sejam competitivos internacionalmente, mesmo com a taxa de câmbio favorável”, afirmou.

Durante a reunião, ficou acertado que a Abraciclo apresentará à SUFRAMA, durante um encontro no mês de abril, uma pauta mais abrangente, elaborada com maior participação de suas indústrias associadas, para que o segmento de Duas Rodas possa voltar a apresentar índices positivos de produção, geração de empregos e faturamento, com reflexos positivos para a economia brasileira.

“Independentemente das demandas apresentadas, a equipe da SUFRAMA já vem estudando medidas para colaborar com o setor”, lembrou Rebecca Garcia ao fim do encontro, reafirmando a importância do segmento para a Zona Franca de Manaus.