Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Apex-Brasil apresenta tendências para exportação de produtos do agronegócio

Notícias

Apex-Brasil apresenta tendências para exportação de produtos do agronegócio

Exposição foi feita durante o seminário "Apresentação de Oportunidades para o Agronegócio – Exportagro", evento que contou com a participação de aproximadamente 90 pessoas entre empreendedores, investidores, acadêmicos, agentes governamentais e profissionais liberais, entre outros.
por Diego Queiroz publicado: 21/08/2019 15h40 última modificação: 21/08/2019 17h37

Com foco na apresentação de oportunidades e tendências futuras para a exportação nacional de alimentos, bebidas e agronegócios, a Agência de Promoção de Exportações e Investimentos do Brasil (Apex-Brasil) promoveu nesta quarta-feira (21), na sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), o seminário "Apresentação de Oportunidades para o Agronegócio – Exportagro". O evento contou com a participação de aproximadamente 90 pessoas entre empreendedores, investidores, acadêmicos, agentes governamentais e profissionais liberais, entre outros.


Na abertura do seminário, o superintendente adjunto de Operações da Suframa, Luciano Tavares, ressaltou a importância do evento devido à possibilidade de aproximação dos exportadores regionais com profissionais da Apex-Brasil e à disseminação de conhecimentos que permitirão a promoção da cultura exportadora na Região Norte. “Hoje o tema trata especificamente do agronegócio, que é de extrema importância para o País e para a região. Temos um potencial elevado, estamos numa região estratégica para exportar e devemos, portanto, trazer parceiros e empreender ações que permitam que as exportações sejam cada vez mais disseminadas e contribuam para trazer o desenvolvimento para a região com a geração de emprego, renda e riquezas”, disse.


O seminário foi dividido em quatro palestras realizadas por profissionais da Apex-Brasil que objetivaram, principalmente, a exposição de conteúdos sobre a atuação da Agência, suas ações de inteligência comercial, o calendário de feiras internacionais e projetos em andamento de apoio e capacitação para exportação.


Em 2018, a Apex-Brasil apoiou aproximadamente 16 mil empresas exportadoras em ações de qualificação e capacitação, análise de mercados, promoção comercial e internacionalização. Essas ações resultaram em uma receita de aproximadamente US$ 56 bilhões advindas de exportações para o País, sendo 35% (US$ 19,7 bilhões) oriundas da comercialização de alimentos, bebidas e produtos do agronegócio. A importância desse segmento cresce principalmente considerando-se que, até 2050, projeções indicam que existirá uma população de nove bilhões de pessoas demandantes de alimentos no mundo, com maior concentração nos continentes africano e asiático. O Brasil, um dos países com maior área agricultável e com a maior produtividade agrícola do mundo, terá, portanto, oportunidades reais para ampliar suas exportações nesse nicho de mercado.


Durante o evento, também foram apresentados critérios e condições para a participação competitiva de empresas brasileiras em feiras e missões internacionais apoiadas pela Apex-Brasil, tais como a Foodex, no Japão, e a Sial, na China, e abordou-se ainda, entre outros tópicos, o Programa de Qualificação para Exportação (Peiex), oferecido pela Agência como forma de auxiliar as empresas a iniciarem o processo de exportação de forma planejada e segura.


Após as palestras, houve uma sessão de perguntas e respostas para o esclarecimento de dúvidas.


Distrito Agropecuário

Aproveitando a temática do evento, o coordenador-geral de Acompanhamento de Projetos Agropecuários da Suframa, Sidnei Nunes, informou que a Autarquia, além de estar cooperando com o Governo do Estado e a Prefeitura de Rio Preto da Eva (AM) na estruturação do Distrito Agroindustrial do município, também irá realizar uma licitação até o final deste ano para conceder áreas agricultáveis com custos bastante reduzidos no Distrito Agropecuário da Suframa (DAS). “Quem tiver interessado em produzir, será necessário apresentar um projeto prévio para poder se habilitar a concorrer esses lotes que vão ser concedidos. É uma oportunidade vantajosa para os produtores e esperamos, com isso, alavancar o setor agropecuário da região”, afirmou Nunes.