Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Bioeconomia poderá contar com recursos de P&D

Notícias

Bioeconomia poderá contar com recursos de P&D

Possibilidades foram debatidas durante a 52ª reunião ordinária do Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia (Capda), realizada na sede da SUFRAMA nesta terça-feira (12).
publicado: 12/09/2017 17h44 última modificação: 14/09/2017 10h46

A pauta da 52ª reunião ordinária do Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia (Capda), realizada na sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) na tarde desta terça-feira (12), incluiu, entre outros assuntos, a discussão de novas resoluções que ampliam as possibilidades de investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no âmbito da Lei de Informática na Zona Franca de Manaus.

Atualmente, são classificados como programas prioritários para o Capda os de Economia Digital, Biotecnologia e Formação de Recursos Humanos. Na reunião, porém, foi apresentada a proposta de mudar a temática de “Biotecnologia” para “Bioeconomia”. “Fizemos um diagnóstico do histórico de captação de investimentos em biotecnologia e percebemos que ele poderia ser maior se o escopo também fosse ampliado. A bioeconomia abrange diferentes soluções para o desenvolvimento sustentável, na qual se inclui a própria biotecnologia e muitos outros aspectos ligados à Amazônia”, explicou o secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Vinícius de Souza, que coordena o Capda.

Recursos Humanos
Durante a reunião também foi apresentada a avaliação de desempenho da Escola de Enfermagem de Manaus, que foi aprovada e manteve seu credenciamento junto ao Capda, bem como a habilitação da Fundação Muraki para coordenar o programa de Formação de Recursos Humanos. A SUFRAMA vem garantindo agenda com instituições como IEL, FIEAM e CIEAM, por exemplo, para que os empresários possam apresentar suas demandas na área de capacitação, o que deve otimizar a aplicação dos recursos na formação do capital intelectual para o mercado.

“Ficamos felizes com a habilitação e já adiantamos que temos, pelo menos, dez empresas interessadas em qualificação para a área de tecnologia, desde o ensino técnico até demandas de pós-graduação”, anunciou o diretor executivo da Muraki, Paulo Alcântara.

A próxima reunião do Comitê, que deve ser a última deste ano, está marcada para dezembro e deverá marcar um novo momento, em que a participação de membros do Capda via conferência digital poderá ser contabilizada para efeito de quórum na aprovação de novas resoluções.