Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Capda debate programas prioritários na primeira reunião de 2016

Notícias

Capda debate programas prioritários na primeira reunião de 2016

Durante a reunião, foram aprovados os Relatórios Demonstrativos Anuais consolidados dos anos de 2010 e 2011.
por Enock Nascimento publicado: 31/03/2016 15h48 última modificação: 31/03/2016 16h43

Diretrizes para revisão e definição dos Programas Prioritários estiveram entre os temas debatidos na 48ª Reunião Ordinária do Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia (Capda), realizada nesta quarta-feira (30), na sede da SUFRAMA.

A primeira reunião do ano foi presidida pelo secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e coordenador do Capda, Marcos Vinícius de Souza, e contou também com a participação do superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da SUFRAMA e secretário-executivo do Comitê, Marcelo Pereira, e de demais representantes de órgãos de pesquisa e fomento, órgãos governamentais e classes produtoras e científicas integrantes do Capda.

Durante a reunião, foram aprovados os Relatórios Demonstrativos Anuais (RDAs) consolidados dos anos de 2010 e 2011. Em 2010, foram desenvolvidos 196 projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), com investimentos totais de R$ 190,5 milhões. Em 2011, foram realizados 203 projetos, com investimentos totais de R$ 248,2 milhões.

O Capda também homologou as avaliações de desempenho de duas instituições credenciadas: o Instituto de Tecnologia José Rocha Sérgio Cardoso (ITJRSC) e a Fundação Alfredo da Matta (Fuam). O Comitê autorizou ainda o credenciamento da unidade de Manaus do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar) e o descredenciamento da Fundação de Apoio à Ciência e Tecnologia (Funatec), da Companhia de Recursos Minerais/Serviços Geológicos do Brasil/Superintendência de Manaus (CPRM/SUREG/MA), do Curso de Ciências Biológicas da Faculdade de Educação de Porto Velho (Uniron), do Centro de Pesquisa Agroflorestal de Rondônia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa-RO) e da Fundação Nilton Lins. Os comitentes ainda aprovaram a indicação do Departamento de Clínica Cirúrgica da Universidade Federal do Amazonas (DCC-Ufam) para receber recursos da Lei de Informática, nos termos do item 2, da Resolução Capda nº 5, de 7 de dezembro de 2010.

Programas prioritários
A maior parte da reunião se concentrou em questões relativas à análise dos Programas Prioritários, considerados estratégicos para o desenvolvimento da Amazônia Ocidental. Atualmente, estão vigentes sete Programas Prioritários, o que permite vantagens no recebimento de investimentos provenientes de pesquisa e desenvolvimento (P&D) das empresas incentivadas. Ficou definido que todos eles serão avaliados quanto à sua manutenção e exclusão.
Na reunião, ocorreu a apresentação e defesa de dois programas: o “Caboclo Sem Fronteiras” e o Programa para Desenvolvimento de Bioindústrias na Amazônia (Prodebio).

O professor de biotecnologia da Ufam, Spartaco Astolfi Filho, defendeu a manutenção do Prodebio, destacando sua contribuição efetiva para o desenvolvimento de mão de obra especializada em biotecnologia na região.
Na apresentação do “Caboclo Sem Fronteiras”, o professor do Instituto de Computação da Universidade Federal do Amazonas (Icomp/Ufam), Edileno Moura, ressaltou que o programa visa a formar, fixar e atrair profissionais de áreas consideradas estratégicas como engenharia; computação e tecnologias da informação; biotecnologia; pesca; e produção agrícola sustentável, entre outras. “A ideia é que esse programa de formação de recursos humanos seja amplo e também atinja áreas no entorno das consideradas estratégicas. Para formar bons especialistas em computação, por exemplo, é preciso investir também em Física e Matemática, pois são disciplinas essenciais e básicas para o profissional da informática”, detalhou.

Convidado a contribuir com a temática, o pesquisador e professor da Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Estado do Amazonas (EST/UEA), Manuel Pinto Cardoso, enfatizou que os programas prioritários devem ser voltados a projetos de áreas como Internet das Coisas (IoT), Cidades Inteligentes (Smart Cities), inteligência artificial, processamento digital de imagem, equipamentos hospitalares e sensores. “Devido à crise de 2008, o mundo percebeu que os países mais manufaturados como a Alemanha sofreram menos que os que baseavam suas economias no setor de serviços. Por isso, a Europa e os Estados Unidos voltaram a investir massivamente na industrialização, apostando no conceito de ‘Indústria 4.0’. Isso pode ser uma ameaça, mas também pode ser uma oportunidade para nós”, enfatizou.

Ficou definido que o MDIC irá enviar aos comitentes uma proposta de diretrizes para os Programas Prioritários.

A próxima reunião do Capda está prevista para junho.