Você está aqui: Página Inicial > Notícias > CAS aprova pauta de US$ 512,5 milhões

Notícias

CAS aprova pauta de US$ 512,5 milhões

Os projetos aprovados devem gerar 920 novos postos de trabalho, além de garantir a manutenção de cerca de 1,8 mil empregos e exportações de US$ 196,7 milhões num prazo de três anos.
publicado: 28/05/2009 00h00 última modificação: 28/06/2016 11h56

O Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS) aprovou por unanimidade a pauta da 238ª reunião realizada nesta quinta-feira, 28, contendo 45 projetos industriais e de serviços, o que corresponde a investimentos globais de US$ 512,5 milhões e investimentos fixos de US$ 90,8 milhões. Os projetos aprovados devem gerar 920 novos postos de trabalho, além de garantir a manutenção de cerca de 1,8 mil empregos e exportações de US$ 196,7 milhões num prazo de três anos.

O aumento do montante de investimentos de projetos aprovados pelo CAS de US$ 300 milhões (na primeira reunião do ano, ocorrida em março) para US$ 500 milhões (na atual reunião) foi destacado pelo secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho, que presidiu o evento. Segundo ele, esse crescimento considerável no volume de investimentos demonstra que o Pólo Industrial de Manaus (PIM), embora não esteja imune aos efeitos da crise financeira mundial, está conseguindo passar pelo turbilhão com mais conforto.

Ivan Ramalho disse ainda que o governo federal pretende retomar a meta de crescimento do nível de investimento do País, que é de 18% do Produto Interno Bruto (PIB), como previsto em uma das quatro macrometas definidas pela Política de Desenvolvimento de Produção (PDP), lançada no ano passado. “Existe a preocupação de todas as autoridades da área econômica de alcançarmos essa meta e voltarmos a apresentar crescimento do nível de investimento. Aqui em Manaus, indiscutivelmente, isso está acontecendo e esperamos que possa ocorrer no restante do País”, frisou.

A superintendente da Zona Franca de Manaus, Flávia Grosso, fez questão de ressaltar a aprovação dos projetos das empresas JVC do Brasil, para produção de câmera de vídeo e autorrádio com toca-discos digital a laser, e da NCR, para fabricação de dispensador de cédulas (papel-moeda), que contam com investimentos estrangeiros. “Neste momento de crise, é importante ter investimentos estrangeiros no PIM, sobretudo porque demonstra confiança no modelo Zona Franca de Manaus”. Ela comentou ainda sobre a aprovação do projeto de bem de capital da empresa Bering V. da Silva para fabricação de balsas empurradoras e estruturas flutuantes, o que, de acordo com a superintendente, deverá contribuir para o fortalecimento do setor naval no Estado.

Destaques
Também foram aprovados os projetos de implantação da empresa Santa Terezinha Indústria de Isoladores da Amazônia, para produção de isolador elétrico de transmissão/distribuição de energia e Amazonbio, para produção de água de colônia, creme nutritivo para a pele e óleo aromático para banho, além de projetos de prestação de serviços em transportes de veículos e para coleta de resíduos sólidos.

Dentre os projetos de ampliação/atualização aprovados, destaque para os da Eletrolux da Amazônia (condicionador de ar tipo split); Pace Brasil (receptores de sinal de TV); e Ceras Johnson (odorizador de ambiente e repelentes); e dentre os de diversificação: Ecopack Embalagens (placas de circuito impresso para uso em informática); Foxconn do Brasil (modulador/demodulador rádio-modem); H-Buster da Amazônia (placas de circuito impresso e microcomputador portátil); Unicoba (máquina de selecionar e contar cédulas); HDL da Amazônia (disjuntor) e Digiboard Eletrônica (conversor para notebook e subconjunto para TV de cristal líquido).