Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Chile e Reino Unido satisfeitos com investimentos no PIM

Notícias

Chile e Reino Unido satisfeitos com investimentos no PIM

Os embaixadores das duas regiões visitaram a SUFRAMA e declararam interesse para ampliar e consolidar mais investimentos na região.
por Enock Nascimento publicado: 23/01/2014 16h26 última modificação: 15/02/2016 17h54

A ampliação e consolidação de investimentos de Chile e Reino Unido no Polo Industrial de Manaus (PIM) esteve em pauta nas visitas dos embaixadores dos respectivos países à SUFRAMA nesta quarta-feira (22), na sede da autarquia. Os diplomatas foram recebidos pelo superintendente Thomaz Nogueira.

Na primeira reunião, o embaixador do Chile no Brasil, Fernando Schmidt, falou das expectativas positivas da Bramont Motorcycle Factory, que passará a produzir, a partir desta quinta-feira (23), na sua planta industrial em Manaus, as motocicletas da marca italiana Benelli e da chinesa Keeway. Trata-se da primeira fábrica com capital chileno a atuar no PIM. “São US$ 140 milhões de investimentos e a geração de 240 empregos”, detalhou Schmidt, ressaltando que o Chile é o maior investidor da América Latina no Brasil com US$ 24 bilhões investidos no País.

O superintendente ressaltou que faz parte do planejamento da autarquia intensificar as relações comerciais com os países vizinhos. Nogueira explicou que já foram intensificadas conversas com países como Venezuela, Equador e Peru para potenciais acordos baseados em que esses países podem comprar e vender para o PIM. Chile e Colômbia serão os próximos. “Em fevereiro levaremos uma comitiva para o Peru. Na Feira Internacional da Amazônia de 2013, a Venezuela foi o destaque. Quem sabe, na próxima edição, a de 2015, seja o ano do Chile”, disse Nogueira.

Na segunda reunião, o embaixador do Reino Unido no Brasil, Alexander Ellis, informou a Nogueira que os dirigentes da Triumph Motorcycles, empresa inglesa de motocicletas de altas cilindradas, se disseram plenamente satisfeitos com a decisão de se instalarem no PIM, com a qualidade da mão de obra local e, principalmente, com a recepção do mercado brasileiro.

“A Zona Franca de Manaus é realmente a melhor porta de entrada para se investir no Brasil. É o grande segredo da economia brasileira. Quem vem para cá, não se arrepende”, enfatizou o superintendente, detalhando o funcionamento do modelo ZFM, sua capacidade de arrecadação de impostos para a receita pública da União e seus resultados socioeconômicos e ambientais.

Também foi pauta da reunião a ampliação das atividades do “Ciências Sem Fronteiras”, com envio de mais estudantes da Amazônia Ocidental para universidades dos países do Reino Unido.