Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Cidade chinesa tem planos de trazer fábricas para Manaus

Notícias

Cidade chinesa tem planos de trazer fábricas para Manaus

Foco seria produção de partes, peças e componentes de eletroeletrônicos para abastecimento do mercado mundial.
por Enock Nascimento publicado: 02/09/2015 16h35 última modificação: 01/02/2016 13h26

Uma comitiva da cidade de Yueqing, na província oriental de Zhejiang (Leste da China) visitou a SUFRAMA nesta quarta-feira (02). O objetivo do encontro foi conhecer o funcionamento da Zona Franca de Manaus (ZFM) e prospectar as possibilidades da instalação de novas empresas chinesas no parque fabril da capital do Amazonas.

O líder da comitiva, o vice-prefeito Li Yinqiao, explicou que a cidade possui uma área de pouco mais de mil quilômetros e que a população atual é de 1, 65 milhão de habitantes. Yinqiao salientou que em Yueqing estão instaladas várias fábricas que produzem partes, peças e componentes de eletroeletrônicos e que o planejamento delas é a expansão internacional. “Como vocês sabem, a China tem mais de um bilhão de habitantes. Por isso, precisamos que nossas fábricas se expandam para que todo mundo consiga um lugar para trabalhar”, brincou.

O superintendente adjunto de Operações da SUFRAMA, Adilson Vieira, acompanhado do corpo técnico da Autarquia, respondeu que a intenção chinesa vai ao encontro dos interesses da ZFM. “Quase 90% dos nossos produtos são vendidos no mercado nacional e os chineses são nossos maiores concorrentes. Por isso, fazemos questão de facilitar a instalação de uma fábrica chinesa. É aquela história do ‘se você não pode com eles, junte-se a eles”, frisou.

Após ouvirem explicações sobre as vantagens tributárias de se instalar na ZFM, os chineses quiseram saber se o governo brasileiro, a exemplo do chinês, custeia todo o processo de aquisição de terreno, construção física e instalação de uma nova indústria. Os técnicos da SUFRAMA explicaram que, ao ter seu projeto industrial aprovado, uma fábrica pode adquirir um terreno na área do Distrito Industrial a R$ 1, o metro quadrado. “E há projeto para expandir a área do distrito, pois a atual tem poucos terrenos disponíveis”, explicou Vieira.

Ao final, a comitiva chinesa foi convidada a participar da oitava edição da Feira Internacional da Amazônia (FIAM), que ocorrerá entre os dias 18 e 21 de novembro. “É também um excelente momento para que as empresas chinesas façam negócios com as fábricas do Polo Industrial de Manaus (PIM)”, frisou o superintendente adjunto.

registrado em: , , ,