Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Cieam conclui estudo para recuperação emergencial de vias do pólo industrial da ZFM

Notícias

Cieam conclui estudo para recuperação emergencial de vias do pólo industrial da ZFM

Os trâmites legais para a realização das obras, mesmo emergenciais, atendem a Lei de Licitações, a de nº 8.666/93.
publicado: 03/01/2008 00h00 última modificação: 26/07/2016 11h32

O Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam) concluiu levantamento das ruas do Distrito Industrial que precisam de intervenção imediata e que serão reconstruídas em caráter emergencial. Os trâmites legais para a realização das obras, mesmo emergenciais, atendem a Lei de Licitações, a de nº 8.666/93. Eles deverão ser finalizados ainda neste mês para o início imediato da recuperação definitiva das vias em estado mais crítico do Distrito Industrial, informa o presidente do Cieam, Maurício Loureiro.

“Apesar de as primeiras intervenções serem emergenciais, estamos falando de recursos federais, portanto dinheiro público e que deve ser aplicado com todo o cuidado exigido pela legislação vigente. Após reconstruirmos as ruas mais danificadas vamos partir para outras prioritárias e que serão recuperadas por meio de licitação convencional”, destaca Loureiro. Segundo o executivo, a entidade que preside priorizará a qualidade do serviço e a sua fiscalização.

As obras serão custeadas pelos R$ 25 milhões repassados pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) à entidade de classe, por meio de convênio firmado no final do ano passado. Elas fazem parte de um projeto maior, orçado em R$ 66,8 milhões para a total revitalização do sistema viário do pólo industrial da ZFM. A superintendente da SUFRAMA, Flávia Grosso, explica que a execução do pacote de obras está inserido no plano plurianual de investimentos do Governo Federal, para o período 2008 a 2011.

O estado crítico de parte das vias do pólo industrial se deve ao fato de as mesmas terem mais de 30 anos de uso e não serem projetadas para a realidade vivenciada pelo Distrito Industrial a partir, principalmente, da última década. O crescente fluxo de cargas e o uso das vias pela população residente no entorno do parque fabril, que as utiliza para acessar bairros e conjuntos adjacentes e outras zonas de Manaus, aceleraram a degradação sem que a Suframa disponha de recursos para intervenções maiores além das operações tapa-buracos, já que nos últimos anos teve grande parte de seu orçamento próprio contingenciado. Em 2007, o Governo Federal liberou R$ 156 milhões, em atendimento a ação articulada entre a SUFRAMA, Governo do Amazonas e a bancada federal da Amazônia.

A recuperação do sistema viário, utilizado pela indústria, vai dar maior segurança ao trânsito de milhares de carros de passeio e carretas e caminhões que trafegam diariamente pela área. O recurso corrigirá problemas como desníveis do pavimento e do sistema de drenagem. Para as empresas, o investimento trará tranqüilidade para o transporte de insumos e de produtos acabados, que saem das linhas de produção de Manaus para o abastecimento do mercado nacional e internacional.