Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Comitiva internacional atenta ao modelo ZFM

Notícias

Comitiva internacional atenta ao modelo ZFM

Alunos de pós-graduação da Universidade de Maine (EUA) e pesquisadores do Instituto de Ciências Geográficas e Recursos Naturais da China visitaram a SUFRAMA para conhecer o modelo ZFM e sua importância econômica para a região e o País.
por Márcio Gallo publicado: 23/05/2013 17h02 última modificação: 01/03/2016 16h40

Uma comitiva formada por alunos de pós-graduação da Universidade de Maine (EUA) e de pesquisadores do Instituto de Ciências Geográficas e Recursos Naturais da China participou nesta quinta-feira (23) de uma apresentação na sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) cujo objetivo foi expor como funciona o modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) e destacar sua importância para a economia da região e do país.

A iniciativa da visita foi uma parceria da SUFRAMA, por meio do superintendente Thomaz Nogueira, com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), através do diretor da Assessoria de Relações Internacionais, Harold Wright.

O superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da autarquia, José Nagib, acompanhado da coordenadora-geral de Desenvolvimento Regional, Eliany Gomes, e do coordenador-geral de Programação Orçamentária, Emmanuel Aguiar, receberam a comitiva e abordaram pontos de destaque do modelo ZFM, como o Polo Industrial de Manaus (PIM), um dos pilares econômicos da Zona Franca, que emprega direta e indiretamente mais de 600 mil pessoas, o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), que atua no desenvolvimento de produtos a partir de pesquisas com insumos regionais, atendendo ao mercado atual e futuras demandas em biotecnologia, e as Áreas de Livre Comércio (ALCs) instaladas nos Estados da Amazônia Ocidental e no Amapá, que possibilitam investimentos na região.

O superintendente José Nagib destacou que o modelo ZFM foi um dos grandes responsáveis pela preservação de 98% da floresta em pé, ao fornecer uma alternativa econômica para a região. Para Nagib, compartilhar o conhecimento sobre o modelo é essencial para que todos possam saber os benefícios que o mesmo traz para o Brasil, uma vez que leva o desenvolvimento a uma região que representa grande parte do país. “Ao entender um pouco mais do funcionamento da Zona Franca de Manaus, vocês passarão a ser parceiros da SUFRAMA no sentido de disseminar a importância deste modelo”, disse.

Divulgação
A visita de comitivas estrangeiras à SUFRAMA interessadas em conhecer como funciona a Zona Franca de Manaus é constante e demonstra o reconhecimento da importância deste modelo de desenvolvimento regional no cenário internacional. Representantes de países como Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Itália, Peru e Equador já visitaram este ano a autarquia para aprender mais sobre o modelo e prospectar investimentos na região.