Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Competitividade do PIM é destaque no Codam

Notícias

Competitividade do PIM é destaque no Codam

Dentre os temas em discussão no evento, os Processos Produtivos Básicos, mais uma vez, foram destacados como essenciais para a competitividade e o desenvolvimento da atividade industrial local e, consequentemente, dos índices de empregabilidade.
por Márcio Gallo publicado: 25/02/2016 17h44 última modificação: 26/02/2016 09h39

Durante a realização da 260ª Reunião Ordinária do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam), realizada nesta quinta-feira (25) no auditório da Secretaria de Planejamento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), os conselheiros – dentre eles a superintendente da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), Rebecca Garcia – debateram alguns temas de relevância para o Estado e para a região. Dentre os tópicos ressaltados, os Processos Produtivos Básicos (PPBs), mais uma vez, foram destacados como essenciais para a competitividade e o desenvolvimento da atividade industrial local e, consequentemente, dos índices de empregabilidade. Ainda assim, é consenso do colegiado de que é preciso avançar neste ponto para que esta ferramenta essencial para a produção não se torne um entrave para a atração de investimentos.

Rebecca Garcia sugeriu que seria interessante atuar no sentido de se criar ‘PPBs de gaveta’, antecipando futuras demandas de mercado com vistas a tornar a região e, mais especificamente, o Polo Industrial de Manaus (PIM) cada vez mais atrativos para os investidores. “Na última feira de tecnologia de Las Vegas (EUA), por exemplo, a sensação foi o drone e suas diversas utilidades. Por que não começarmos a buscar alguns PPBs para drones, para corrermos atrás dessas tendências de produções?”, exemplificou Rebecca, afirmando que essa iniciativa seria um facilitador no contato com os investidores.

A essa proposta de fortalecimento da economia do Amazonas e do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM), o titular da Seplancti, Thomaz Nogueira, acrescentou dois pontos: o incentivo à cultura exportadora como meio de superar a atual situação econômica do mercado interno e, também, a iniciativa de criar um canal único de diálogo entre os investidores e os órgãos de Estado responsáveis pela política de incentivos do Amazonas para agilizar o processo de investimentos locais.

Pauta
Além das discussões, o Codam analisou 26 projetos que preveem investimentos de R$ 493 milhões, com geração de cerca de 830 novos postos de trabalho. Os destaques da pauta ficaram por conta de projetos voltados à produção de lâmpadas a LED, para iluminação de ambientes, baseada em técnica digital, apresentados por três empresas que estimam gerar aproximadamente 120 empregos diretos.