Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Conselho de Administração da SUFRAMA aprova 108 projetos para o PIM

Notícias

Conselho de Administração da SUFRAMA aprova 108 projetos para o PIM

Investimento total supera os US$ 1.6 bilhão, com previsão de geração de 2.438 novos empregos no parque industrial de Manaus.
por Layana Rios publicado: 30/04/2015 18h42 última modificação: 02/02/2016 16h33

O Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS) retomou seu calendário nesta quinta-feira (30), com a realização da 269ª reunião ordinária, que aprovou US$ 1.6 bilhão em investimentos totais (sendo U$S 622.7 em investimentos fixos) para 108 projetos – 31 de implantação e 77 de ampliação, atualização e diversificação. A previsão é de 2.438 novos empregos no Polo Industrial de Manaus (PIM) em até três anos, prazo dado às empresas para efetivarem os projetos.

A reunião foi presidida pelo secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho, e contou com a presença do superintendente da SUFRAMA em exercício, Gustavo Igrejas; dos governadores do Amazonas, José Melo, e de Roraima, Maria Suely Campos; do prefeito de Manaus, Arthur Neto; do senador pelo Amazonas, Omar Aziz; dos deputados federais Pauderney Avelino e Silas Câmara; e do deputado estadual Serafim Corrêa, representando o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas; além de representantes dos demais Estados de atuação da SUFRAMA, da indústria e das entidades de classe.

O superintendente Gustavo Igrejas agradeceu o apoio do MDIC durante os cinco meses em que se encontra como interino da SUFRAMA, e reforçou que neste período não houve prejuízo algum aos trabalhos da autarquia. “A Zona Franca não sofreu nenhum tipo de descontinuidade das suas operações e de seus serviços, sempre com o apoio dos servidores e do MDIC”, disse.

Desafios
Igrejas também pontuou alguns dos desafios superados nesse período à frente da autarquia, tais como a migração dos sistemas informatizados que eram mantidos pela Fucapi à Serpro; a continuidade dos trabalhos do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA); e a retomada das obras de revitalização das ruas do Distrito Industrial, em parceria com o governo do Amazonas. “Existiam algumas recomendações dos órgãos de controle que geravam a possibilidade de cancelamento do convênio mas, junto ao governo do Estado e à Seinfra, estão sendo feitas algumas adequações ao projeto básico e temos uma previsão que até o final do mês de maio essas obras de revitalização do Distrito vão ser retomadas para que não haja nenhum prejuízo à sociedade”, afirmou.

O secretário-executivo do MDIC, Ivan Ramalho, agradeceu a compreensão das autoridades presentes pela ausência do ministro Armando Monteiro – que não esteve na reunião em decorrência de problemas de saúde – e reiterou o apoio do ministério à autarquia. “Não há dúvida alguma do total apoio do ministro Armando Monteiro e do Ministério do Desenvolvimento, não só aos servidores da SUFRAMA, como também ao processo de gestão da autarquia. Vamos continuar nos dedicando a fortalecer o modelo e também fortalecer o Processo Produtivo Básico, procurando dar sempre a máxima transparência a esse sistema”, afirmou.

O secretário informou que o ministério continua trabalhando na definição jurídica do CBA. “A questão de uma melhor definição do modelo é um tema que está também na agenda do nosso ministro. Vários dos nossos secretários estão se dedicando a essa questão, inclusive com outros órgãos vinculados ao nosso ministério, e pretendemos ter, até a próxima reunião, uma melhor definição sobre esse assunto”, disse.

Ramalho anunciou ainda que uma reunião extraordinária do CAS será realizada em maio, para tratar de temas que não puderam ser equacionados na 269ª reunião – como o caso do projeto agroindustrial da Granja Hortolândia Ltda – e divulgou o calendário das reuniões ordinárias para 2015. “Teremos reunião nos dias 18 de junho, 13 de agosto, 22 e outubro e 10 de dezembro. Assim, retomamos o cronograma bimestral do CAS e, em novembro, teremos ainda a Feira Internacional da Amazônia”, apontou.

Projetos
Em relação à pauta aprovada, Gustavo Igrejas destacou os projetos voltados a Bens de Informática, que vêm crescendo continuamente. “Este é um ano difícil para a economia nacional e acredito que esse segmento pode segurar o faturamento do Polo Industrial de Manaus”, disse. O superintendente destacou que vários dos projetos homologados foram aprovados ad referendum – conforme prevê a Resolução 203 do Conselho – entre as reuniões de agosto e desta quinta (30), evitando qualquer prejuízo ao PIM.

Entre os destaques, no segmento de Bens de Informática, estão o projeto de implantação da TCT Mobile para a produção de telefones celulares digitais, com investimento total de US$ 405 milhões e mão de obra adicional de 334 empregos; e os projetos de ampliação da Semp Toshiba, para fabricação de tablets, com investimento total de US$ 50 milhões e geração de 214 empregos; e da Positivo Informática, para produção notebooks, que soma US$ 61 milhões em investimentos e previsão de 246 novos postos de trabalho.

No segmento Eletroeletrônico, a Advanced Optronic Devices aprovou projeto de implantação para fabricação de lâmpadas LED para iluminação de ambientes, baseada em técnica digital. O investimento total previsto é de US$ 26 milhões, com geração de 84 novos postos de trabalho. A Foxconn também aprovou investimentos de U$ 29 milhões para diversificar sua produção, com a fabricação câmeras, gravadores e reprodutores digitais de sinais de áudio e vídeo para sistemas de segurança. A previsão é de que este projeto gere 241 empregos.
A empresa Medgoldman, do segmento termoplástico, aprovou projeto no valor de US$ 32 milhões para fabricar produtos voltados ao mercado hospitalar, como equipamentos descartáveis de plástico, tubos para coletas a vácuo e agulhas para uso médico. A previsão é de 207 novos empregos.

Reajuste salarial
Um dos temas que esteve presente na fala de todos os membros da Mesa e dos conselheiros que pediram a palavra foi o reajuste salarial dos servidores da SUFRAMA. A nova tabela de vencimentos da categoria foi incluída como emenda à Medida Provisória (MP) 660. A MP foi aprovada no Congresso e aguarda agora a sanção da presidente Dilma Rousseff. Durante os pronunciamentos no CAS, o entendimento foi de que o projeto é relevante e, se por um lado, causa impacto no orçamento, este impacto pode ser custeado com recursos da própria SUFRAMA, sem prejuízo extra ao orçamento da União.

O superintendente Gustavo Igrejas reforçou o pedido de reajuste feito pelos servidores. “A tabela proposta está mais condizente com a importância que nós temos para o desenvolvimento da Amazônia como um todo”, disse.