Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Conselho de Administração da SUFRAMA realiza reunião histórica no Amapá

Notícias

Conselho de Administração da SUFRAMA realiza reunião histórica no Amapá

Aprovação pioneira de projetos com incentivos da Zona Franca Verde e retomada do calendário itinerante de reuniões foram pontos de destaque da 279ª Reunião Ordinária do CAS
por Diego Queiroz publicado: 11/05/2017 18h35 última modificação: 12/05/2017 11h50

O Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS) realizou nesta quinta-feira (11), no Palácio do Setentrião, em Macapá (AP), sua 279ª Reunião Ordinária. Tratou-se de um evento de repercussões históricas para o processo de desenvolvimento da Amazônia, com a aprovação dos dois primeiros projetos que usufruirão de incentivos do programa Zona Franca Verde (ZFV) a partir da produção com preponderância de matérias-primas regionais. Outro ponto de destaque foi a retomada da realização de reuniões ordinárias do CAS fora da cidade de Manaus – algo que não ocorria desde junho de 2008.

Presidida pelo ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Pereira, a reunião teve a participação do governador do Amapá, Waldez Góes, do prefeito de Macapá, Clécio Luís, do superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da SUFRAMA, Marcelo Pereira, e de parlamentares, representantes de entidades de classe e demais autoridades estaduais e regionais.

Entre os 25 projetos industriais e de serviços que compuseram a pauta da reunião, sendo doze de implantação e treze de atualização, ampliação e diversificação, com previsão de investimentos totais de US$ 146.955 milhões e mão de obra adicional de 757 empregos, dois empreendimentos oriundos de Macapá foram os grandes destaques: a Sorveteria Macapá (Qsabor), que fabrica sorvetes e outros gelados comestíveis com utilização de frutas nativas da região, e a Verçosa Indústria e Comércio de Alimentos, fabricante de diversos tipos de rações destinadas a suínos, frangos, cães, gatos e peixes. Os empreendimentos englobam investimentos conjuntos de mais de US$ 25 milhões e a geração de mais de 40 empregos diretos.

Em seu discurso, o ministro Marcos Pereira, que completa nesta sexta-feira (12) um ano à frente do MDIC, reiterou seu compromisso de estar presente a todas as reuniões do Conselho – especialmente as itinerantes previstas no calendário – e também enalteceu a aprovação de projetos pioneiros de investimentos que contribuirão de forma decisiva para o desenvolvimento do Estado do Amapá. “A SUFRAMA e o modelo Zona Franca de Manaus completam 50 anos em 2017, e uma das formas de celebrar esta data foi a idealização de um calendário de reuniões itinerantes ao longo deste ano. Este por si só é um fato histórico, pois a última reunião itinerante foi realizada há quase nove anos”, lembrou Pereira. “Esses dois projetos oriundos do Amapá se propõem a fazer justamente aquilo que é a missão do MDIC: estimular o crescimento da economia, o setor produtivo, as indústrias e as empresas da área de serviços, entre outras áreas. Esses setores geram empregos e é exatamente esse o nosso grande desafio neste momento”, complementou, citando, ainda, inúmeras medidas empreendidas pelo Ministério ao longo dos últimos doze meses visando ao fortalecimento do ambiente de negócios, à desburocratização de procedimentos e ao estímulo do crescimento econômico em todo o País.

O governador do Amapá, Waldez Goés, ressaltou a importância da aprovação dos dois primeiros empreendimentos que serão beneficiados no Estado e na região com incentivos fiscais ligados ao programa ZFV e adiantou também que o Governo do Estado já conta com outras dez empresas habilitadas para apresentar projetos nas próximas reuniões do CAS. “Depois de muita luta para regulamentar a Zona Franca Verde no Estado do Amapá, estamos verdadeiramente dando o passo seguinte, que é a instalação. Isso significa verticalizar a produção, agregar valor, gerar emprego e renda e entrar no programa de exportação do Brasil. É importante continuar contando com o apoio de importantes aliados como o MDIC e a SUFRAMA neste momento histórico para o Amapá”, disse Góes, adiantando ainda que o Governo do Estado apresentará Projeto de Lei à Assembléia Legislativa para proporcionar ainda mais incentivos aos empreendimentos locais, em complementação aos incentivos federais, a fim de tornar mais viáveis os projetos industriais no Estado e atrair novos investidores.

De acordo com o superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da SUFRAMA, Marcelo Pereira, que representou na ocasião a superintendente da autarquia, Rebecca Garcia, o pioneirismo amapaense deve ser ressaltado e isso é consequência do esforço feito pelo Estado desde o lançamento do programa Zona Franca Verde, em fevereiro do ano passado. A expectativa é que a aprovação dos primeiros projetos possa estimular ainda mais os empreendedores locais a apresentarem projetos para agregar valor à produção natural através da industrialização. “Temos aqui no Amapá uma posição geográfica estratégica, uma Área de Livre Comércio, incentivos fiscais, e também uma sinalização do Governo do Estado e da Prefeitura de Macapá de que poderão complementar os incentivos e o apoio ao empresariado local. A SUFRAMA também está aqui para somar. Portanto, temos um cenário muito positivo e esperamos que, daqui para frente, a autarquia esteja cada vez mais inserida no projeto de desenvolvimento do Estado”, afirmou o superintendente.

O prefeito de Macapá, Clécio Luís, disse que é um orgulho para toda a sociedade local a aprovação dos dois primeiros projetos do programa Zona Franca Verde e que os efeitos positivos da industrialização na Área de Livre Comércio de Macapá e Santana serão sentidos em todos os municípios do Estado.

Doação de terreno
O governador do Amapá, Waldez Góes, afirmou também durante a 279ª Reunião Ordinária do CAS que está doando oficialmente um terreno à SUFRAMA para a implantação de uma sede da instituição com condições estruturais suficientes para a condução e o impulsionamento da Zona Franca Verde no Estado. “Se temos uma Zona Franca Verde, é natural termos uma presença mais forte institucional do órgão que coordena essa área industrial”, ressaltou Góes.

Lançamento do PNCE
Ao final da 279ª Reunião do CAS, o ministro Marcos Pereira também fez o lançamento oficial do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) no Estado do Amapá. De acordo com o ministro, a partir da estruturação de um comitê gestor estadual, que contará com a participação de diversos entes, serão promovidas diversas ações, incluindo treinamentos e consultorias, visando à ampliação da base exportadora do Estado. “O Estado do Amapá tem um potencial gigantesco e nós estamos aqui justamente para estimular esse potencial”, destacou Pereira.