Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Cupuaçu é destaque em feira de produtos naturais em São Paulo

Notícias

Cupuaçu é destaque em feira de produtos naturais em São Paulo

Produto pode ser utilizado como ingrediente de diversos doces, como bolos e jujubas.
por Enock Nascimento publicado: 05/06/2014 16h34 última modificação: 12/02/2016 16h53

Inovações patenteadas – ou em processo de aquisição de patente – elaboradas a partir do Theobroma grandiflorum (Cupuaçu) estão sendo exibidas no estande da SUFRAMA na 10ª edição da Naturaltech, Feira Internacional de Alimentação Saudável, Produtos Naturais e Saúde, que começou no último dia 4 e vai até dia 7 de junho, no pavilhão da Bienal do Ibirapuera, em São Paulo.

Entre os produtos que têm mais chamando a atenção dos visitantes estão a jujuba de cupuaçu com mangarataia (gengibre), invenção da empresa Amazon Doces; e o bolo amazônico, criado pela empresa Sabores de Tradição, no qual a massa é feita com a polpa do cupuaçu, substituindo ingredientes como margarina, leite e farinha de trigo.

Bolo
O bolo amazônico já foi patenteado e faz sucesso no evento – que tem foco na vida saudável – por não conter glúten, lactose e gorduras trans. Além disso, a mistura possui outros ingredientes amazônicos, como a castanha-do-brasil, o extrato de puxuri e o aroma de cumaru.

É a primeira vez que a Sabores de Tradição participa da feira e em dois dias de evento, além das vendas de unidades para visitantes, já começou a negociar a distribuição do produto (vendido em embalagem de 200 gramas e com validade de dois meses) com empresários interessados em revendê-lo em outros Estados, como Santa Catarina.

O empresário português Jorge Carlos Neves explica que o cupuaçu tem três componentes (um deles a pectina, os outros dois ele não revela) que misturados e combinados obtêm uma formulação ideal para massas de bolo (ou torta). As características físico-químicas e biológicas do cupuaçu são tão singulares que o empresário se tornou especialista em identificar quando a polpa do fruto foi adulterada. “Certa vez nós não estávamos conseguindo produzir o bolo. Repetíamos o processo e não funcionava. Foi quando descobrimos que na polpa de cupuaçu que nos foi vendida haviam acrescentado amido de mandioca para aumentar o volume. Aprendi e, claro, também nunca mais compro daquele fornecedor”, relatou.

Jujuba
Outra inovação (em processo de patente) feita com cupuaçu é a jujuba criada pela empresária Jane Barros. O produto é carro-chefe da Amazon Doces, que participa pela terceira vez da Naturaltech. “Trouxe R$ 6 mil em produtos e só no primeiro dia já vendi R$ 2 mil”, conta.

A empresária, nascida em Manicoré (AM), conta que trabalha com o cupuaçu comercialmente desde quando comprou um sítio em Presidente Figueiredo (AM) repleto de cupuaçuzeiros. “Na época ninguém dava valor ao fruto, que estragava na beira da estrada”, relembra. Cozinheira de mão cheia ela começou a fazer receitas com a fruta. Doces, geleias, cupulate (chocolate de cupuaçu) até que chegou a jujuba, que não precisa de goma por causa da pectina.

No Sudeste, a combinação preferida é de cupuaçu com mangarataia. As adaptações, e inovações, porém, não param. “Estou fazendo testes com frutas como a banana para substituir o açúcar. Quando conseguir, sei que isso vai aumentar o potencial comercial e agregação de valor dos nossos produtos”, salientou.