Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Eletros discute reforma tributária na Zona Franca de Manaus

Notícias

Eletros discute reforma tributária na Zona Franca de Manaus

Além do tema tratado em reunião na Suframa, representantes da entidade e da Autarquia abordaram, ainda, tópicos como abertura comercial e Processos Produtivos Básicos.
por Diego Queiroz publicado: 14/06/2019 15h05 última modificação: 14/06/2019 16h46

Dirigentes da Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros) estiveram, nesta sexta-feira (14), na sala de reuniões do gabinete da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), onde se reuniram com o superintendente da Autarquia, Alfredo Menezes, e o superintendente adjunto de projetos, Gustavo Igrejas. O objetivo foi discutir temas sensíveis para o segmento Eletroeletrônico do Polo Industrial de Manaus (PIM), com destaque para abertura comercial, reforma tributária e Processos Produtivos Básicos (PPBs).


Da parte da Eletros, estiveram presentes à reunião o presidente da associação, José Jorge do Nascimento Junior, o vice-presidente para a área de Linha Branca da entidade e diretor da Midea Carrier, Toshio Murakami, e o vice-presidente para a área de Linha marrom e diretor da LG Electronics, Mauro Apor. Na ocasião, eles procuraram debater uma agenda positiva com a Suframa, ratificando o interesse não apenas de permanecer na Zona Franca, como também incrementar a produção e ampliar investimentos na região.


Preocupações

O presidente da Eletros, José Jorge do Nascimento Junior, afirmou que há uma preocupação das empresas do segmento quanto às discussões vigentes da reforma tributária e seus potenciais impactos quanto à abertura comercial e à política fiscal da ZFM. Ele disse ter ficado satisfeito com o posicionamento do superintendente Alfredo Menezes de que a Suframa está acompanhando atentamente esse processo e irá fazer todo o possível para resguardar as vantagens comparativas do modelo. “Estamos preocupados com a reforma tributária e a abertura comercial. Mexer em Imposto de Importação, mudar os incentivos, qualquer ação desse tipo pode tornar inviável a permanência na Zona Franca de Manaus. Precisamos que as vantagens comparativas sejam mantidas. Elas são extremamente importantes para dar previsibilidade e segurança jurídica aos investimentos que já foram feitos. Temos todo o interesse de ser envolvidos nessas discussões, pois qualquer ação negativa afasta o investidor”, afirmou.


Menezes afirmou que a autarquia irá dar todos os encaminhamentos necessários junto ao governo federal, bem como com o governo estadual e entidades de classe, para que os anseios manifestados pela Eletros sejam atendidos e que a Zona Franca mantenha-se atrativa para investidores. “Não se preocupem, pois vamos acompanhar de perto e lutar para que nenhuma decisão prejudicial seja tomada”, reforçou o superintendente da Suframa.