Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Empresa inicia investimentos de R$ 4,4 bi em bioindústrias de etanol na ZFM

Notícias

Empresa inicia investimentos de R$ 4,4 bi em bioindústrias de etanol na ZFM

A primeira parte do investimento, de R$ 1 bilhão, foi iniciada neste sábado (7), com o lançamento da pedra fundamental das obras da Millenium BioEnergia em Bonfim (RR).
publicado: 09/12/2019 09h50 última modificação: 09/12/2019 12h34

No último sábado (7), foi realizado o lançamento da pedra fundamental dos empreendimentos da Millenium BioEnergia que produzirão etanol de milho na área incentivada da Zona Franca de Manaus (ZFM). O marco inicial dos trabalho da multinacional ocorreu em Bonfim, no estado de Roraima, município no qual a Superintendência da Zona Franca de Manaus atua na administração dos incentivos federais do modelo de desenvolvimento regional. Os investimentos da empresa ocorrerão não apenas no estado, mas também no Amazonas, Acre, Rondônia e no Amapá.

O anúncio dos investimentos na ZFM ocorreu no início do mês de novembro, quando, em reunião na sede da Suframa, os dirigentes da Millenium BioEnergia confirmaram que R$ 4,4 bilhões seriam utilizados para a construção de usinas para produção de biocombustíveis.

Segundo representantes da empresa, serão investidos em Bonfim mais de R$ 1 bilhão na construção do complexo industrial local, com oferta de 1.500 vagas de trabalho para atender à obra, que terá um total de 270 mil metros quadrados.

O superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, acompanhou o evento e, conforme já tinha adiantado em encontro com os dirigentes da Millenium BioEnergia, destacou que a iniciativa vai ao encontro do trabalho que vem sendo desenvolvido em sua gestão, de fomentar diferentes segmentos, atraindo novos negócios para toda a área de abrangência da Autarquia.

Segundo o diretor comercial da Millenium BioEnergia, Acácio Rozendo, a construção das usinas da empresa no Amazonas devem iniciar nos próximos meses. A previsão é que as usinas comecem a operar no final de 2021. Elas serão construídas em Rio Preto da Eva, Itacoatiara e Manaus e serão abastecidas por produtores locais.