Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Especialista defende novos investimentos em logística na região

Notícias

Especialista defende novos investimentos em logística na região

As propostas foram apresentadas durante o seminário "Logística na Amazônia: projetos e perspectivas promissoras", da quarta Feira Internacional da Amazônia, que termina neste sábado, 13.
publicado: 15/09/2008 00h00 última modificação: 19/07/2016 11h07

A melhoria do transporte hidroviário, a construção de ferrovias e de rodovias apropriadas à região e o investimento em aeroportos foram as principais medidas propostas pelo coordenador do projeto Transporte Hidroviário e Construção Naval na Amazônica: Diagnóstico e Proposições para o Desenvolvimento Sustentável (Techna), Waltair Machado, para o aprimoramento da logística regional.

As propostas foram apresentadas durante o seminário "Logística na Amazônia: projetos e perspectivas promissoras", da quarta Feira Internacional da Amazônia (Fiam FIAM 2008), que termina neste sábado, 13.

"Regiões como a Amazônia precisam de uma avaliação cautelosa no transporte rodoviário em função do tipo de solo e das longas distâncias percorridas", disse Machado, que também é diretor da Faculdade de Tecnologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

Machado destacou ainda que existe uma preocupação com os investimentos públicos na área da logística, em especial no transporte. "As rodovias não são estruturadas, passam carros ao lado de caminhões de carga, há uma desarticulação nos modais de transporte, dificuldades aduaneiras e as embarcações não se adequam ainda ao pleno desenvolvimento dos transportes, para citar alguns gargalos. Quando você viabiliza o transporte, facilita o escoamento da produção. Tanto ganha quem produz como quem compra. É preciso facilitar esse trânsito", comentou.

O que falta para que o setor de logística em transporte funcione em plenitude, na avaliação de Machado, é um investimento sério em pesquisa. "As soluções são resultado de estudos, e para isso é preciso ter financiamento. É preciso estudar a infra-estrutura, conhecer aspectos físicos e geológicos, para fazer proposições sérias", concluiu, acrescentando que a Ufam dispõe atualmente de um núcleo de Transporte e Construção Naval, com financiamento da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), que está formando 15 doutores em planejamento de transporte e logística.