Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Indicadores do PIM refletem crise econômica internacional

Notícias

Indicadores do PIM refletem crise econômica internacional

O faturamento do Polo Industrial de Manaus no primeiro mês do ano foi de US$ 1,391 bilhão, resultado 36,7% menor que o verificado no mesmo período de 2008 (US$ 2,198 bilhões).
publicado: 12/03/2009 00h00 última modificação: 01/07/2016 19h10

O faturamento do Polo Industrial de Manaus (PIM) no primeiro mês do ano foi de US$ 1,391 bilhão, resultado 36,7% menor que o verificado no mesmo período de 2008 (US$ 2,198 bilhões). Tendo como referência a moeda brasileira, o faturamento do Polo em janeiro foi de R$ 3,211 bilhões, o que representa uma queda menor: 17,69% em relação ao mesmo mês do ano passado. As exportações também seguiram o mesmo patamar de queda do faturamento em dólar (-38,22%), passando de US$ 92,755 milhões para US$ 57,308 milhões. Já os empregos, estes saíram de 101.150 em dezembro para 94.543 em janeiro desse ano, segundo dados fornecidos por 387 empresas das 420 pesquisadas – o PIM tem cerca de 550 fábricas.

Os indicadores do PIM, divulgados nesta quinta-feira (dia 12) pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), refletem os efeitos da crise econômica internacional, que restringiu o crédito ao consumidor e a efetivação de novos investimentos. Devido ao elevado valor agregado dos principais produtos do parque fabril da Capital do Amazonas, a queda nas vendas financiadas afetaram diretamente o desempenho do PIM.

A produção de motocicletas, motonetas e ciclomotores, por exemplo, caiu 58,38%, de 204.779 unidades em janeiro do ano passado para 85.232 unidades no primeiro mês desse ano. O superintendente em exercício da SUFRAMA, Oldemar Ianck, observa, entretanto, que a quantidade vendida (107.167 unidades) pelos fabricantes nesse mesmo mês foi maior que a produzida. “Continuamos monitorando o desempenho do PIM, trabalhando na melhoria de Processos Produtivos Básicos (PPBs) e subsidiando os governos em ações que visam fortalecer a indústria”, ressalta Ianck.

Na semana passada, durante a reunião do Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS), o secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho, afirmou que o Governo Federal continuará empenhado em manter a economia aquecida. Segundo ele, essa preocupação se dá não só com o polo de duas rodas e de eletroeletrônicos, os maiores do PIM, mas com todos os segmentos produtivos.

Na mesma ocasião, o governador do Estado do Amazonas, Eduardo Braga, que tem mantido estreita relação com a equipe econômica e com o próprio presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou estar ansioso pelo anúncio de novas medidas federais de desoneração da atividade produtiva, a exemplo do que foi feito com relação ao Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para a compra de motos. Agora, a expectativa é com relação ao PIS/Cofins.

Resultados positivos
Apesar da retração do consumo, determinadas linhas de produtos, que vinham em forte expansão, continuaram em alta em janeiro. É o caso dos televisores da nova geração tecnológica. A produção de TVs com tela de plasma aumentou 134,56% (de 10.879 para 25.518 unidades, com vendas chegando a 36.162 em janeiro desse ano) e a de cristal líquido (LCD) passou de 109.525 para 244.101 no mesmo período analisado, conferindo uma alta de 122,87%.

Os fabricantes de unidades evaporadoras para condicionadores de ar split system registraram em janeiro produção 460,03% maior (salto de 2.662 para 14.908 aparelhos), os de fornos de microondas produziram 43,67% a mais (passando de 144.572 para 207.708 unidades). Já as linhas de câmeras fotográficas digitais tiveram incremento de 70,72%, passando de 99.958 máquinas em janeiro de 2008 para 170.649 em janeiro deste ano.

registrado em: , ,