Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Obras emergenciais nas ruas do pólo industrial começam em uma semana

Notícias

Obras emergenciais nas ruas do pólo industrial começam em uma semana

Trabalho será concentrado nas sete vias em estado mais crítico.
publicado: 08/02/2008 00h00 última modificação: 26/07/2016 10h34

As obras emergenciais de revitalização das ruas do pólo industrial da Zona Franca de Manaus (ZFM) começarão no próximo dia 15. A garantia foi dada pelo presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (CIEAM), Maurício Loureiro, durante coletiva à imprensa concedida nesta sexta-feira (dia 8) na sede da SUFRAMA, em conjunto com a superintendente da autarquia, Flávia Grosso.

Na ocasião o executivo explicou que o trabalho será nas sete vias em estado mais crítico: Buriti, Balata, Jutaí, Abiurana, Procter & Gable (antiga Bola da Gillette), Bola da SUFRAMA e Danilo Areosa. “O estudo técnico que encomendamos ficou pronto dia 15 de janeiro e agora em 15 de fevereiro iniciaremos as obras. Vamos refazer a base, sub-base e o recapeamento dessas ruas, com o asfalto de melhor qualidade, por orientação da própria superintendente”, explica Loureiro.

Segundo o presidente do CIEAM, a empresa que executará as obras emergenciais será escolhida nos próximos dias e esta fase, das obras mais urgentes, irá durar entre 60 e 90 dias, justamente o tempo em que estará concluída a licitação para a revitalização de todas as ruas do Distrito Industrial 1.

A superintendente Flávia Grosso informa que o trabalho que será executado no sistema viário trará solução definitiva e atenderá a atual realidade do pólo industrial. “As vias do Distrito foram feitas há 34 anos, para suportar carretas com 20 toneladas de carga (por eixo) e para atender as fábricas. Hoje, as carretas levam 40 toneladas (por eixo) e o Distrito é passagem para milhares de carros e caminhões que se deslocam para outras partes da cidade e bairros adjacentes”, ressalta a dirigente.

Economia de recursos
SUFRAMA e CIEAM estão empenhados em concluir todo o sistema viário do Distrito Industrial 1 em 18 meses. O projeto demandará recursos da ordem de R$ 40 milhões e significará economia de mais de R$ 20 milhões. Até então a idéia era realizar todo o trabalho ao longo de quatro anos, acompanhando o plano plurianual do Governo Federal, mas que exigiria mais de R$ 60 milhões de investimento.

As ruas do Distrito Industrial sempre foram mantidas pela SUFRAMA, mas desde quando os recursos da autarquia começaram a ser contingenciados a situação do tráfego de veículos foi agravada. Com o descontingenciamento feito pelo Governo Federal em setembro do ano passado, com apoio dos governos e parlamentares da área de atuação da instituição, a Amazônia Ocidental mais o Amapá, a Superintendência firmou convênio com o CIEAM.

Flávia Grosso explica que se o convênio não fosse feito o recurso voltaria para os cofres da União, justamente porque não haveria tempo hábil para a conclusão da licitação para a recuperação do sistema viário. A proposta, explica a superintendente, é justamente concluir a licitação, em atendimento a Lei das Licitações, a 8.866, enquanto a obra emergencial está em andamento, para que a obra maior, que abrangerá todas as ruas do Distrito Industrial 1, inicie logo em seguida.

Fiscalização
Além dos procedimentos normais de fiscalização da SUFRAMA, de liberação de recursos por trabalho executado e fiscalizado, a revitalização do sistema viário do Distrito será acompanhada por estudantes e especialistas do Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas (Cefet). “Eles vão fazer ensaios sobre todas as etapas do trabalho, monitorando todo o andamento da obra”, esclarece Maurício Loureiro.

 

registrado em: , ,