Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Opção para o CBA é tornar-se instituição público-privada

Notícias

Opção para o CBA é tornar-se instituição público-privada

Secretário-executivo do MDIC, Ricardo Schaefer, se reuniu com o superintendente da SUFRAMA, Thomaz Nogueira, e falou sobre o tema.
por Layana Rios publicado: 21/11/2013 17h54 última modificação: 16/02/2016 17h45

Em visita a Manaus, o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ricardo Schaefer, reuniu-se com o superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira, no Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), para discutir o modelo de gestão que deverá dar personalidade jurídica à entidade.

Segundo Schaefer, o objetivo da reunião foi completar o diálogo e a interlocução junto aos atores do tema biotecnologia na Amazônia, no sentido de avançar, ainda neste ano, com a constituição do novo CBA. “Vamos criar uma instituição público-privada, através de uma associação, que vai se qualificar numa organização social com a atribuição de gerir o CBA dentro de um modelo de negócios que nós já temos consensualizado”, afirmou o secretário-executivo.

Além de Schaefer e Nogueira, participaram da reunião o secretário de Inovação do MDIC, Rafael Marques; o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva; o presidente do Centro das Indústrias do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco; os superintendentes-adjuntos da SUFRAMA, José Nagib Lima, (Planejamento e Desenvolvimento Regional) e Adilson Vieira (Operações); e os pequisadores do CBA Antônio Lapa, responsável pelo laboratório de Farmacologia, Toxologia e Biotério, e Tetsuo Yamani, responsável pelo laboratório de Biologia Molecular.

Para o superintendente Thomaz Nogueira, a reunião foi extremamente importante para dar o encaminhamento à constituição jurídica do CBA. “A autonomia do CBA será um grande passo para o avanço da biotecnologia na região, com foco na aplicação direta no Polo Industrial de Manaus”, afirmou.