Você está aqui: Página Inicial > Notícias > PIM mantém estabilidade no faturamento em junho

Notícias

PIM mantém estabilidade no faturamento em junho

O polo ainda sofre os efeitos da crise internacional, amenizados com as medidas tomadas pelos governos federal e estadual.
publicado: 10/08/2009 00h00 última modificação: 08/06/2016 16h55

As vendas do Polo Industrial de Manaus (PIM) mantiveram-se estáveis em junho quando a indústria atingiu um faturamento de US$ 1,982 bilhão contra US$ 1,985 bilhão do mês de maio, um leve recuo de 0,12%. Os Indicadores de Desempenho do PIM divulgados pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) apontam que a estabilização da indústria, em junho, acontece após o crescimento do faturamento, em maio sobre abril, da ordem de 16,19%. Em reais, a queda registrada foi de 5,11% considerando os R$ 4,091 bilhões de maio contra R$ 3,882 bilhões de junho.

Essa estabilidade no faturamento deve-se, em grande parte, às medidas tomadas pelos governos federal e estadual para minimizar os efeitos da crise, tais como redução do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que se traduziu em ganho produtivo ao estimular as operações de crédito com prazos de pagamento mais longos, redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e alargamento do prazo de recolhimento para fabricantes de motocicletas, em troca da manutenção de empregos. Também foi autorizada a redução para zero da Taxa de Serviço Administrativo (TSA) da SUFRAMA incidente sobre a importação de insumos pelos fabricantes do segmento de Duas Rodas, valendo para as montadoras e também para os produtores de componentes.

Na comparação com junho do ano passado, que registrou faturamento de US$ 2,823 bilhões do PIM, houve queda de 29,78%. No acumulado do ano, o polo somou US$ 10,217 bilhões, um decréscimo de 32,48% em relação ao primeiro semestre do ano passado, período ainda não afetado pela crise financeira mundial, e que registrou faturamento de US$ 15,132 bilhões.

O superintendente adjunto de Projetos, Oldemar Iank, destaca que na análise do primeiro semestre, o faturamento do PIM foi negativo apenas em abril e junho, na comparação mensal, enquanto cresceu em fevereiro sobre janeiro, março sobre fevereiro e maio sobre abril. Entretanto, o desempenho do semestre aponta que dificilmente o polo vai conseguir igualar o faturamento de 2008 quando chegou a US$ 30,173 bilhões.

Em relação aos empregos, os postos mantidos pelo PIM decresceram de 86,6 mil para 85,9 mil pessoas ocupadas, uma diferença de 0,85%. Com isso, o desempenho negativo do parque industrial mantém-se abaixo de 1% como aconteceu na comparação entre maio e abril quando a queda no número de postos diretos foi de 0,73%.

As exportações tiveram queda de 5,80% na comparação de junho (US$ 56,987 milhões) com o mês de maio (US$ 60,497 milhões). De janeiro a junho, as exportações acumulam queda de 15,28% com US$ 808,377 milhões, enquanto que no mesmo período do ano passado, as vendas para o mercado externo somaram US$ 954,161 milhões.

Setores
Embora o faturamento de junho tenha apresentado queda, ainda que leve, alguns setores registraram crescimento significativo em relação a maio. Caso do polo Ótico que atingiu crescimento de 23,47% com faturamento de US$ 11,050 milhões, em junho, contra US$ 8,949 milhões do mês anterior. Outro destaque é o faturamento do setor de Papel e Papelão com US$ 9,468 milhões, em junho, superando os US$ 8,436 milhões de maio em 12,23%. As indústrias de bebidas tiveram alta de 9,19% com faturamento de US$ 17,030 milhões em junho contra US$ 15,582 milhões de maio. O polo Químico também teve alta de 4,55%, sendo que em junho totalizou US$ 223,173 milhões enquanto ficou, em maio, em US$ 213,453 milhões.

O setor Eletroeletrônico atingiu, em junho, faturamento de US$ 848,125 milhões contra US$ 839,984 milhões do mês anterior, um crescimento de 0,96%. No mesmo período, o polo de Duas Rodas teve queda de 1,47% na comparação do faturamento de junho (US$ 449,178 milhões) com o de maio (US$ 455,894 milhões).

Produtos
Assim como no faturamento de alguns setores, a produção foi positiva em produtos como o Home Theater que no acumulado dos seis meses, saltou de 148 mil unidades do mesmo período do ano passado para 180,5 mil unidades, um crescimento de 21,96%. A produção de Compact Disc e CD-Rom também foi positiva de janeiro a junho com alta de 24,11%, saindo de 255,917 milhões de discos, em 2008, para 317,611 milhões de unidades, neste ano. A produção de televisores com tela de cristal líquido (LCD) encerra o semestre com crescimento de 36,94%. Entre janeiro a junho de 2008, foram produzidos 935,3 mil aparelhos, contra 1,280 milhão de unidades no primeiro semestre de 2009.

registrado em: , ,