Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Primeiro ano de gestão de Rebecca Garcia intensifica processo de reestruturação da SUFRAMA

Notícias

Primeiro ano de gestão de Rebecca Garcia intensifica processo de reestruturação da SUFRAMA

Demandas colocadas como prioritárias, tais como maior articulação institucional e celeridade na análise e aprovação de PPBs, encontram-se em estágio avançado de solução
por Diego Queiroz publicado: 27/10/2016 16h36 última modificação: 27/10/2016 16h36

A superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, completa nesta quinta-feira (27) um ano no comando da autarquia. Rebecca foi nomeada para o cargo de superintendente da Zona Franca de Manaus por meio de decreto presidencial de 23 de outubro de 2015 e fez a assinatura do termo de posse, oficialmente, quatro dias depois, durante reunião com o então ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Armando Monteiro. Doze meses após sua chegada à SUFRAMA, a instituição passa por um intenso processo de reestruturação que tem repercutido em ações em diversas frentes, tanto no âmbito interno quanto no âmbito externo.

Das demandas colocadas como prioritárias quando assumiu a SUFRAMA – entre elas a maior articulação e interação com servidores, classe política, entidades de classe e órgãos governamentais e a necessidade de dar celeridade à análise e à aprovação de Processos Produtivos Básicos (PPBs) –, a superintendente destaca que muitas já se encontram em estágio avançado de solução. “Não apenas conseguimos retomar a regularidade nas reuniões do Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS), possibilitando assim a aprovação frequente de novos investimentos que impactam diretamente na geração de renda e emprego para a população da nossa área de atuação, como também avançamos, recentemente, na questão salarial dos servidores, com o estabelecimento de uma nova tabela remuneratória mais justa e adequada à importância desses profissionais para o desenvolvimento da Amazônia e do País”, disse Rebecca. “Outro avanço fundamental se deu com os PPBs. Ainda em dezembro de 2015, identificamos pleitos de estabelecimento e alteração de processos produtivos básicos considerados críticos e que necessitariam de uma ação urgente em Brasília junto aos ministérios competentes, como é o caso dos PPBs de Motocicletas, Luminária LED, Partes e Peças de Motocicletas, Produtos Ópticos Oftálmicos e Filme BOPP. Esse esforço possibilitou que em um período de um ano conseguíssemos a publicação de mais de 50 portarias de PPBs”, complementou.

O primeiro semestre de gestão da superintendente Rebecca Garcia também teve como destaques a decisão de prorrogar o prazo de vigência do último concurso público realizado pela instituição; a estruturação da Ouvidoria da SUFRAMA; os trabalhos voltados à implementação e disseminação do projeto Zona Franca Verde (ZFV); e o envolvimento direto em ações de potencialização do comércio exterior na região, como, por exemplo, a atuação da autarquia enquanto coordenadora do Comitê Gestor do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) no Amazonas e também a participação no Grupo Técnico Permanente para o incremento da competitividade da Zona Franca de Manaus como plataforma de exportação (GT-ZFM).

Plano Diretor Industrial

A elaboração do estudo "Plano Diretor Industrial (PDI): Diretrizes Táticas para a Área de Atuação da SUFRAMA (2017-2025)" também foi uma demanda solicitada pela superintendente Rebecca Garcia à equipe técnica da autarquia no momento em que chegou à instituição. O estudo, que levou seis meses para sua conclusão e foi apresentado à sociedade durante a 275ª Reunião do CAS, realizada no dia 26 de agosto, demonstra, na avaliação da superintendente, a intenção da instituição de se adequar à revolução industrial – a partir de conceitos da Indústria 4.0 – que está ocorrendo em todo o mundo. “Nosso Plano Diretor Industrial contempla diversas áreas temáticas e diretrizes táticas, tais como Logística, Ciência e Tecnologia, Atração de Investimentos, Desenvolvimento Organizacional e Inserção Internacional, que estão associadas à Zona Franca de Manaus, à Amazônia Ocidental e ao projeto Zona Franca Verde, buscando integrar a instituição aos novos padrões globais de competitividade e integração tecnológica”, afirmou Rebecca.

Para ela, o PDI sinaliza uma clara iniciativa da autarquia com vistas a organizar sua estrutura interna, instruindo o planejamento de suas atividades e de suas rotinas de trabalho, ao mesmo tempo em que busca também a satisfação dos usuários dos seus serviços aliada ao desenvolvimento industrial em toda sua área de atuação. “Precisamos desburocratizar e modernizar a prestação de nossos serviços, para que o movimento da Indústria 4.0 encontre também um Governo 4.0. Aí sim conseguiremos entregar um país que esteja competitivo e ao alcance de todos”, complementou a superintendente. “A SUFRAMA tem trabalhado neste sentido e sabemos que o governo federal também está atento a esta questão. É muito importante que tanto o governo quanto a indústria vivam este novo momento para que possamos nos inserir cada vez mais no mercado internacional e nos fortalecer ao ponto de enfrentar períodos de crise com mais facilidade e robustez.”

Atendimento ao Cidadão

Em meio às diretrizes do Plano Diretor Industrial, a SUFRAMA tem desempenhado, nos últimos meses, diversas ações relacionadas à melhoria da prestação de seus serviços e da desburocratização de procedimentos. Entre elas, destacam-se a criação de grupos de trabalhos voltados à implementação da Política de Atendimento ao Cidadão e do Plano de Logística Sustentável (PLS) da instituição, bem como a reabertura do posto de atendimento da autarquia no complexo do aeroporto internacional Eduardo Gomes. “São ações que já têm gerado um feedback positivo por parte da comunidade empresarial e dos cidadãos que necessitam dos nossos serviços. Queremos continuar nessa lógica com vistas a melhorar cada vez mais a atuação da SUFRAMA e os benefícios gerados à sociedade”, destacou Rebecca.

Por fim, a superintendente pontuou o esforço da autarquia para concluir a revisão de marcos regulatórios relevantes para o Polo Industrial de Manaus (PIM) e para o modelo ZFM, entre os quais normativos direcionados à análise e acompanhamento de projetos industriais, a projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e à ocupação do Distrito Industrial e do Distrito Agropecuário da SUFRAMA. “Tudo isso com o objetivo de dar maior transparência e efetividade às nossas ações. Esperamos que até o final do ano o Conselho de Administração da SUFRAMA tenha a chance de analisar e aprovar essas novas normas que poderão nos ajudar muito no processo de aprimoramento institucional”, pontuou Rebecca.

registrado em: , , ,