Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Rami busca parceria com a SUFRAMA

Notícias

Rami busca parceria com a SUFRAMA

Rede Amazônia em Prol do Empreendedorismo e da Inovação (Rami) - formada por incubadoras do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins - está sob a presidência do Amazonas.
publicado: 30/04/2012 00h00 última modificação: 23/03/2016 10h48

Pela primeira vez em mais de 10 anos de existência, a Rede Amazônia em Prol do Empreendedorismo e da Inovação (Rami) - formada por incubadoras do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins - está sob a presidência do Amazonas e a diretora-presidente da instituição, Jane Moura, esteve nesta segunda-feira (30) na sede da SUFRAMA para buscar parceria com a autarquia federal. “A área de atuação da Rami compreende praticamente os mesmos estados de atuação da Superintendência e ambos têm o objetivo comum de desenvolver a região”, disse Moura ao superintendente da SUFRAMA, Thomaz Nogueira.

Entre as metas da nova diretoria da Rede, está o reforço das ações existentes, mas com a implantação de novas ações, inclusive no interior. Para tanto, será preciso efetivar novas parcerias institucionais. “Estamos buscando novas oportunidades em todas as esferas de governo e propondo parcerias com entidades como Sebrae, por exemplo. No caso do Amazonas, já estamos estreitando as relações com a Fundação de Amparo à Pesquisa”, adiantou o diretor de Tecnologia e Inovação da Rami, Euler Guimarães, que também participou do encontro.

No dia 15 de maio, o Rami, em parceria com o Governo do Estado, vai lançar oficialmente o edital do Fórum de Incubadoras do Amazonas (FIA), e convidou a SUFRAMA a integrar a iniciativa. “Pode ter certeza que os objetivos da Rami se encaixam perfeitamente nos da Superintendência e vamos somar esforços para apresentar resultados”, garantiu Thomaz Nogueira. Ele revelou que a autarquia está em fase final de elaboração de um planejamento que contempla, justamente, iniciativas de reforço na formação de empresas. “Vamos manter o diálogo e, em curto prazo, sentar novamente para discutir as ações necessárias”, concluiu.

As incubadoras têm como objetivo apoiar a formação de empresas com infraestrutura e assessoria nas áreas de atuação das instituições de ensino e pesquisa que as mantém. No Amazonas existem oito incubadoras ligadas à Rami, que são as de Autazes – com edital do Sebrae, é a primeira no interior do Amazonas - do Instituto Federal do Amazonas (IFAM) – que estuda ampliar a iniciativa das incubadoras para mais 14 municípios do interior – da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação (Fucapi), do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), da Faculdade Martha Falcão (FMF), além do Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (Cide).