Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Resultados do PIM até maio apontam alta no faturamento e nas exportações e freio na geração de empregos

Notícias

Resultados do PIM até maio apontam alta no faturamento e nas exportações e freio na geração de empregos

Dentre os segmentos de maior porte do Polo, apenas os setores Eletroeletrônico (incluindo Bens de Informática) e Químico apresentaram crescimento no período de janeiro a maio.
por Diego Queiroz publicado: 12/07/2012 00h00 última modificação: 18/03/2016 16h25

O faturamento e as exportações do Polo Industrial de Manaus apresentaram indicadores positivos entre janeiro e maio deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, mas a mão-de-obra segue em situação difícil, influenciada, sobretudo, pelos obstáculos pontuais em setores como Duas Rodas e Mecânico.

Nos cinco primeiros meses de 2012, o PIM faturou R$ 27,37 bilhões, o que representa um crescimento de 1,97% em relação ao mesmo período de 2011 (R$ 26,83 bilhões). Em dólar, o faturamento do polo, no mesmo intervalo, alcançou US$ 14.97 bilhões, o que indica uma queda de 8,64%. A diferença entre os resultados pode ser explicada pela variação cambial – em maio de 2011, o dólar estava cotado em R$ 1,61 e, em maio deste ano, registrou cotação de R$ 1,98, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas, o que representa uma variação cambial de 22,98%.

As exportações totalizaram até maio US$ 320,7 milhões, resultado 2,25% superior ao alcançado no mesmo período de 2011, quando o PIM registrou vendas ao mercado externo no montante de US$ 313,6 milhões.

Dentre os segmentos de maior porte do PIM, apenas os setores Eletroeletrônico (incluindo Bens de Informática) e Químico apresentaram crescimento no período de janeiro a maio. O segmento Eletroeletrônico terminou o quinto mês do ano com faturamento consolidado de R$ 12,22 bilhões, o que indica uma variação positiva de 6,73% em relação ao ano passado. Já o segmento Químico apresentou no período faturamento de R$ 3,34 bilhões, registrando crescimento de 8,27%. Ambos os segmentos, no entanto, apresentam queda no período quando seus resultados são analisados em dólar.

Enquanto setores de maior porte do PIM apresentam desempenho mais tímido, segmentos com menor nível de faturamento estão aproveitando 2012 para crescer de forma acentuada. O grande destaque nesse sentido é o setor de Beneficiamento de Borracha, que apresentou até maio deste ano faturamento de R$ 10,6 milhões e crescimento de 217,98% em relação ao mesmo período de 2011. Em dólar, o crescimento chegou a 175,82%. O desempenho do segmento é atribuído principalmente à atuação da empresa Neotec, que absorve toda a produção regional de borracha para fabricação de pneus da marca Levorin. Outros setores, como Bebidas (crescimento de 35,01% em real e de 19,85% em dólar), Vestuário e Calçados (crescimento de 55,93% em real e de 39,33% em dólar), Editorial e Gráfico (crescimento de 27,80% em real e de 14,44% em dólar) e Isqueiros, Canetas e Barbeadores Descartáveis (variação de 20,82% em real e de 8,18% em dólar), também tiveram performances positivas.

Empregos
O Polo Industrial de Manaus registrou, no intervalo de janeiro a maio deste ano, média mensal de 117.903 trabalhadores, entre efetivos, temporários e terceirizados. O resultado, quando comparado à média mensal de empregos registrada no mesmo período de 2011 (114.133), apresenta variação positiva de 3,3%.

Os indicadores de empregabilidade, no entanto, são negativos na comparação entre o mês de maio de 2012 (115.843 trabalhadores) e o mês de maio de 2011 (116.987 trabalhadores). Foi a primeira vez desde dezembro de 2009 que o PIM apresentou queda na análise de um mesmo mês em anos consecutivos. O resultado é conseqüência principalmente do momento de dificuldades por qual passa o polo de Duas Rodas, segmento que tem grande dinamismo na geração de empregos no PIM por movimentar, além das empresas de bem final, também cadeias produtivas dos setores Mecânico, Metalúrgico e Termoplástico que servem como fornecedoras de insumos.

Televisores puxam produção
Com mais de 4,6 milhões de unidades fabricadas entre janeiro e maio deste ano, os televisores com tela de cristal líquido (LCD) tiveram aumento de 32,79% na produção em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram produzidas aproximadamente 3,5 milhões de unidades. Telefones celulares também chegaram ao final do quinto mês de 2012 com alta na produção (7,88%), registrando mais de 11 milhões de unidades fabricadas.

As motocicletas apresentaram no período recuo de 9,40% na produção (833 mil unidades em 2012 contra 919,5 mil unidades até maio de 2011), mas continuam sendo o produto líder em faturamento do Polo Industrial de Manaus. Outro produto do setor de Duas Rodas, a bicicleta, por sua vez, apresentou alta de 28,88% na produção no período de janeiro a maio, com mais de 352 mil unidades fabricadas.

O produto com maior crescimento no período analisado foi o telejogo, que, com produção de mais de 208 mil unidades entre janeiro e maio de 2012, apresentou aumento de 442,43%. Receptores de sinal de televisão e aparelhos de áudio não-portáteis também tiveram crescimentos na produção de 12,59% e 32,52%, respectivamente.

Avaliação positiva
Segundo o superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira, os números do Polo Industrial de Manaus no período de janeiro a maio podem ser avaliados como positivos, principalmente diante da situação de dificuldades no cenário internacional e até mesmo na economia brasileira. Ele destacou também as recentes medidas tomadas pelo Governo Federal, com participação da SUFRAMA, visando a fortalecer a atividade industrial mediante o estímulo ao consumo e o fomento à manutenção de empregos em setores estratégicos do PIM, como Eletroeletrônico, Duas Rodas e Mecânico.

“Há uma crise de consumo que é mundial. No entanto, é preciso deixar claro que, até o momento, ela não chegou ao Polo Industrial de Manaus, que segue com bons índices de faturamento e manutenção de empregos. Alguns setores estão passando por dificuldades pontuais, mas temos buscado criar mecanismos que estimulem essas empresas a resguardar os empregos e mantemos diálogo constante com os diversos segmentos para buscar soluções”, afirmou o superintendente, lembrando ainda que as perspectivas para os próximos meses são otimistas tendo em vista que o segundo semestre do ano tradicionalmente proporciona resultados mais exitosos ao PIM. “As medidas anunciadas pelo Governo Federal e pelo Governo do Estado, como a elevação das alíquotas de IPI para motocicletas, fornos microondas e aparelhos de ar-condicionado do tipo split system fabricados fora da Zona Franca de Manaus e os incentivos vinculados ao ICMS, são muito bem-vindas e temos convicção de que irão provocar os efeitos almejados quando começarem a vigorar. Uma coisa é certa: independentemente das dificuldades, sejam elas quais forem, o PIM chegará ao final do ano crescendo e mais fortalecido”.