Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reunião do CAS em Rondônia anuncia frente de governadores em defesa da ZFM

Notícias

Reunião do CAS em Rondônia anuncia frente de governadores em defesa da ZFM

Na ocasião, também foi aprovada uma pauta com 40 projetos industriais e de serviços, sendo 11 de implantação e 29 de atualização, ampliação ou diversificação. Juntos os projetos somam investimentos totais de US$ 339.6 milhões e estimam a geração de 885 empregos ao longo dos próximos três anos.
por Enock Nascimento publicado: 14/12/2017 14h09 última modificação: 14/12/2017 16h49

O Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS) realizou nesta quinta-feira (14), no auditório da Governadoria, no 9º andar do Edifício Pacaás, no Palácio Rio Madeira, em Porto Velho (RO), a sua 281ª Reunião Ordinária. O evento foi marcado por discursos de apoio ao modelo, com o anúncio da formação de uma frente de governadores da região Norte em defesa da Zona Franca de Manaus (ZFM) e a luta pelo descontingenciamento de verbas para serem utilizadas em ações de desenvolvimento regional.

Na ocasião, também foi aprovada uma pauta com 40 projetos industriais e de serviços, sendo 11 de implantação e 29 de atualização, ampliação ou diversificação. Juntos os projetos somam investimentos totais de US$ 339.6 milhões e estimam a geração de 885 empregos ao longo dos próximos três anos.

A última reunião do ano do Conselho foi presidida pelo ministro substituto da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Jorge de Lima, e contou com a participação do superintendente da SUFRAMA, Appio Tolentino, do governador de Rondônia, Confúcio Moura, e de demais autoridades e personalidades ligadas à classe política e econômica da Amazônia Ocidental e Amapá.

O governador de Rondônia citou alguns ataques de críticos da ZFM e fez um balanço histórico dos resultados conquistados quando a autarquia dispunha de autonomia orçamentária. "Quero expressar a minha saudade da velha SUFRAMA. Da época em que ela podia investir na região. Uma época boa para os municípios, boa para as universidades. Hoje, fazem conta para dizer que a ZFM está obsoleta. Não contabilizam o sequestro de carbono, o valor da floresta preservada. Todos nós, da região, devemos defender a ZFM como se morássemos em Manaus. Quero dizer que sou ZFM. Sou SUFRAMA", disse Confúcio Moura.

O governador de Rondônia anunciou a formação de uma frente de governadores da região Norte em defesa da ZFM que irá reivindicar também o fim da retenção dos recursos angariados pela autarquia a fim de que eles sejam usados em projetos de desenvolvimento. "O contingenciamento dos recursos da SUFRAMA fere de morte muitos municípios carentes da região. Essa união dos governadores é para lutar contra isso. Vou lutar essa luta porque ela é justa e necessária", frisou o governador.

O ministro substituto destacou a recente aprovação da nova Lei da Informática e a possibilidade de reinvestimento de verbas de projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) por parte das empresas com recursos glosados. "São mais de R$ 1,5 bilhão nos próximos dois anos", detalhou.

Marcos Jorge parabenizou ainda a ZFM pela conquista em quatro categorias em premiação internacional, concedida por revista do grupo Financial Times.

Em seguida, o superintendente da SUFRAMA salientou que muitas das críticas direcionadas à ZFM se devem a uma interpretação equivocada sobre o significado de renuncia fiscal. "Não se renuncia sobre o que não tem. Uma coisa é você reduzir a carga tributária de uma empresa em troca de coisas como a manutenção de emprego. Isso é renúncia fiscal. Outra coisa é conceder incentivos para gerar uma atividade econômica em uma área onde não existia. Isso não é renúncia, é indução de desenvolvimento", explicou.

O superintendente ressaltou, ainda, números da participação da autarquia na economia dos Estados sob a sua área de abrangência. "No tocante ao volume de empregos, só no Estado de Rondônia, a SUFRAMA impulsiona diretamente mais de 5.600 empresas, responsável por mais de 20 mil empregos diretos e 60 mil indiretos", destacou.

O secretário de Ciência e Tecnologia, representante do governo do Amapá no CAS, Rafael Pontes, fez questão de que constasse em ata o apoio do Conselho ao Acórdão 2.388/2017, do Tribunal de Contas da União (TCU). No documento, foi dado prazo de 90 dias para que governo federal e SUFRAMA elaborem plano de ação para resolver questões de orçamento e capital humano da autarquia. "Isso significa, por exemplo, concurso para preenchimento de vagas nas Áreas de Livre Comércio e também correção remuneratória para os servidores", frisou Pontes. O ministro substituto respondeu que o ministério diminuiu o prazo de conclusão da elaboração do plano de ação para 30 dias.

Os conselheiros definiram que a próxima reunião ordinária, comemorativa dos 51 anos do modelo Zona Franca de Manaus e da autarquia, será realizadas em fevereiro do próximo ano em Rio Branco (AC). A ideia do ministério é manter as reuniões itinerantes, com revezamento das sedes entre os Estados dentro da abrangência da SUFRAMA.

Pauta
Entre os projetos de implantação, destaca-se o da empresa rondoniense "Bigsal Indústria e Comércio de Suplementos para Nutrição Animal" que visa à preparação de alimentos de animais e conta com investimentos totais de US$ 3.6 milhões e previsão da geração de 37 empregos. A unidade fabril funcionará no município de Ji-Paraná (RO).

Também foram aprovados quatro projetos de ingresso ao setor de Termoplástico do Polo Industrial de Manaus (PIM), entre eles o da Nordeste Indústria e Comércio que prevê investir US$ 24.9 milhões e gerar 65 empregos na fabricação de produtos da marca Fortlev. Outro destaque é o projeto de geração de energia proposto pela empresa de origem chinesa BYD Indústria de Baterias. Para fabricar o "módulo acumulado com células eletroquímicas de íon lítio para geração de armazenamento de energia elétrica", a previsão é de investimento total de US$ 22.9 milhões e a criação de 38 postos de trabalho.

Entre os projetos de diversificação aprovados, chamam a atenção o da Visontec da Amazônia, que objetiva a fabricação do gravador/reprodutor digital de sinais de áudio e vídeo para sistemas de segurança; e o da Universal Componentes da Amazônia, que visa à produção de stepper, bicicleta ergométrica, esteira elétrica e aparelhos de ginástica para musculação.

Balanço
Somados com os projetos a serem deliberados na 281ª reunião ordinária do CAS, em 2017 foram apresentados o total de 142 projetos industriais e de serviços, sendo 51 de implantação e 91 de atualização, diversificação e ampliação. Os investimentos totais congregados ultrapassam o valor de US$ 2.1 bilhões e a estimativa de postos de trabalho a serem gerados chegam a 3.911 vagas ao longo dos próximos três anos.

Antes da reunião do CAS, o ministro substituto Marcos Jorge de Lima, e o superintendente Appio Tolentino participaram, junto ao governador de Rondônia, Confúcio Moura, e outras autoridades do governo, da solenidade de entrega de um dos conjuntos de rampas flutuantes para operação pelo sistema Roll-On Roll-Off, no Porto Graneleiro de Porto Velho.

O equipamento contou com investimentos de R$ 5,6 milhões e faz parte da execução da segunda etapa do Termo de Compromisso no 003/2014, assinado com Secretaria Nacional dos Portos (SNP) e a Sociedade de Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia (SOPH), com interveniência do governo de Rondônia, no valor total de R$ 22,7 milhões. Os recursos são oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal e compõem o Plano de Modernização e Gestão de Porto Velho no que diz respeito ao setor portuário.

registrado em: , ,