Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Rodada tem número recorde de encontros de negócios

Notícias

Rodada tem número recorde de encontros de negócios

Foram mais de 370 reuniões entre produtores amazônicos e compradores de outros Estados brasileiros e Países.
publicado: 12/09/2008 00h00 última modificação: 19/07/2016 15h08

Mais de 370 reuniões entre produtores amazônicos e compradores de outros Estados brasileiros e Países. Esse é o balanço inicial, e um recorde em relação à edição anterior, da Rodada de Negócios da quarta Feira Internacional da Amazônia (FIAM 2008), que acontece até o dia 13, no Studio 5 Centro de Convenções.

"Os encontros foram muito bons. Conheci quatro ou cinco produtores que podem ser fornecedores. São nesses momentos que encontramos produtos novos e compararmos preços. Hoje conheci um creme de açaí embalado (semelhante a um iogurte) com granola que tem uma apresentação muito bonita", disse o representante da Panamerican Foods LLC, Carlos Diaz.

A Panamerican, distribuidora dos Estados Unidos, trabalha há seis anos com produtos brasileiros. Segundo Diaz, atualmente 90% do montante comercializado na empresa, que fornece para mais de 70 estabelecimentos comerciais norte-americanos, são provenientes do Brasil, principalmente de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. 

Esta foi a primeira vez que ele veio a Manaus.

A Rodada de Negócios possibilitou ao Grupo de Mulheres Artesãs do setor Coraci da reserva Amanã, no Amazonas, o primeiro negócio fechado com compradores de outros Estados. "Conversamos com vários empresários, mas está certo que vamos vender para quatro deles, dois de São Paulo e dois do Rio de Janeiro", disse a coordenadora do grupo, Rosângela Rosa.

Para um dos sócios da rede de lojas de produtos naturais Mundo Verde, Jorge Eduardo Antunes da Silva, há uma importante questão a se melhorar no comércio de produtos da região. "Há produtos maravilhosos, como os da Avive (Associação Viva Verde da Amazônia, que trabalha com fitoterápicos e fitocosméticos), que não podemos comercializar porque eles não conseguem o selo da Anvisa (Agencia Nacional de Segurança Nacional). Esses produtos são comprados na Alemanha e na França mas não podem ser vendidos no Brasil. Eles exigem que todos os produtores tenham instalações empresariais, como as da Johnson", disse. Ele sugere que a legislação de registro desses produtos seja revista.

A Mundo Verde possui 137 estabelecimentos em 17 Estados do Brasil e também está em Angola.

A Rodada de Negócios acontece desde a primeira edição da FIAM. De todos os negócios gerados, entre 20% e 25% são fechados durante a própria realização das reuniões, segundo o coordenador da atividade e gerente da unidade de Atendimento Coletivo, Indústria e Serviço do Sebrae-AM, Carlos Henderson Tavares Cardoso. O restante vem a curto e médio prazos, ou seja, até dois anos.