Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Seminário aponta principais gargalos logísticos de Manaus

Notícias

Seminário aponta principais gargalos logísticos de Manaus

Evento fez parte da II Feira e Congresso Internacional de Transporte e Logística (TranspoAmazônia).
por Layana Rios publicado: 22/05/2014 16h51 última modificação: 15/02/2016 12h07

Os entraves logísticos de Manaus, dentre outras questões envolvendo o transporte de cargas na capital amazonense estiveram na pauta do seminário de Logística Urbana, realizado nesta quarta-feira (21), como parte da programação da II Feira e Congresso Internacional de Transporte e Logística (TranspoAmazônia), no Studio 5 Centro de Convenções.

Organizado pelo Instituto de Pesquisa em Transportes (Intra), Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Centro de Logística Urbana do Brasil (Club), o seminário contou com o patrocínio da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) e os resultados deverão compor o mapeamento da logística urbana de Manaus na base de dados do Club.

Durante o dia, o seminário foi dividido em uma sessão com um grupo focal, pela manhã, onde foram discutidos os principais entraves da cidade, por meio de representantes do setor público e privado, sob a coordenação da pesquisadora da Universidade Federal do Ceará (UFC), Nadja Montenegro, integrante do Club. Pela tarde foi realizada uma sessão técnica, aberta ao público em geral, com a participação de Montenegro, do presidente da Manaustrans, Paulo Henrique Martins, da consultora do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Selma Isa, e do diretor do Intra, José Teixeira.

Entre os pontos abordados, Montenegro apresentou como funciona o Club e os resultados de pesquisa já realizadas em outras cidades. “O que verificamos é que há dificuldades bem semelhantes entre as cidades pelas quais o grupo de pesquisa já passou, como problemas na estrutura, no planejamento, os grandes congestionamentos e a solução deve surgir a partir da criação de um plano diretor que permitirá identificar o que a cidade precisa para então partir para a solução dos entraves”, explicou. Os resultados das pesquisas realizadas por todo o Brasil estão no site clubbrasil.org/observatorio/, onde Manaus será inserida em breve. Já Isa mostrou o projeto-piloto que está sendo desenvolvido pelo BID sobre logística urbana na cidade de Curitiba. “A ideia é que futuramente possamos expandir esse projeto para outras cidades”, afirmou.

José Teixeira apresentou um estudo que está sendo realizado pelo Intra e Manaustrans, por meio de cooperação técnica, que visa diagnosticar a logística urbana de Manaus para o desenvolvimento de soluções apropriadas a realidade regional. O projeto, que iniciou há um mês, está dividido na caracterização do sistema de logística, avaliação da eficiência dessa logística e a identificação e solução dos principais problemas. “Manaus é a sétima cidade brasileira mais populosa e a sexta mais rica, concentrando cerca de 80% do PIB do Amazonas, devido ao Polo Industrial de Manaus, que precisa de uma cadeia logística muito bem estruturada para escoar seus produtos ao restante do País”, observa Teixeira.

Gargalos logísticos
Entre os problemas identificados no estudo, estão o planejamento urbano descontínuo, baixo incentivo ao uso do transporte coletivo e baixo investimento em infraestrutura de transporte. “O crescimento de Manaus exige novas alternativas para o escoamento da produção, principalmente alternativas que consigam alcançar um equilíbrio entre a movimentação de carga no perímetro urbano e a infraestrutura disponível”, ressaltou. O resultado do estudo poderá ser incluído no Plano de Mobilidade Urbana de Manaus.

De acordo com o presidente da Manaustrans, Paulo Martins, o Plano de Mobilidade – que é um subplano do Plano Diretor da cidade – deve sair até o final do ano. “Estamos trabalhando com pesquisas de tráfego e de transporte. Dados preliminares já dão conta de novos terminais de ônibus que deverão ser instalados, construção e alargamento de vias e a Prefeitura já está fazendo projetos para que possa buscar recurso para executar as obras”, informou.

Para o superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da SUFRAMA, José Nagib, que participou da abertura da TranspoAmazônia representando o superintendente Thomaz Nogueira, o seminário, assim como a Feira, devem impactar, sobretudo, em melhorias para o transporte de cargas das empresas do Polo Industrial de Manaus, refletindo em avanços na produtividade econômica na região e também na qualidade de vida da população, ao reduzir o stress ocasionado pelo tráfego intenso. “Este evento é estratégico para a SUFRAMA, pois reforça o nosso compromisso com o desenvolvimento de mecanismos para o aprimoramento da infraestrutura logística regional”, afirma Nagib.

TranspoAmazônia
Aberta na quarta-feira (21), a segunda edição da TranspoAmazônia segue até este dia 23, no Studio 5 Centro de Convenções, reunindo empresários, poder público e a sociedade civil de todos os Estados da Região Norte, com uma programação que inclui – além de seminários – palestras e mesas redondas, com a participação de especialistas dos segmentos rodoviário, aquaviário e aéreo de todo o País.

Promovido pela Federação das Empresas de Logística, Transporte e Agenciamento de Cargas da Amazônia (Fetramaz), o objetivo da TranspoAmazônia é indicar soluções e propostas logísticas para a Região Norte. A estimativa é de 13 mil visitantes nos três dias de evento, que deve contar ainda com a geração de diversos negócios, uma vez que a Feira concentrará os principais agentes, fornecedores de equipamentos, peças e operadores de transporte e logística de sete estados brasileiros e de alguns países vizinhos.