Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA apresenta modelo ZFM ao Conselho de Embaixadores dos Países Árabes

Notícias

SUFRAMA apresenta modelo ZFM ao Conselho de Embaixadores dos Países Árabes

A comitiva que visitou a autarquia é formada por representantes diplomáticos da Jordânia, Catar, Egito, Síria, Palestina, Arábia Saudita, Sudão, Iraque, Mauritânia, Kuwait, Argélia, Líbano, Omã, Emirados Árabes Unidos, Tunísia e Marrocos.
por Diego Queiroz publicado: 04/10/2011 00h00 última modificação: 06/04/2016 11h17

Embaixadores e encarregados de negócios de 16 países integrantes do Conselho de Embaixadores dos Países Árabes, acompanhados de dirigentes da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, visitaram na tarde dessa segunda-feira (3) a sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA). A comitiva, formada por representantes diplomáticos da Jordânia, Catar, Egito, Síria, Palestina, Arábia Saudita, Sudão, Iraque, Mauritânia, Kuwait, Argélia, Líbano, Omã, Emirados Árabes Unidos, Tunísia e Marrocos, cumpre missão oficial no Estado do Amazonas entre os dias 3 e 5 de outubro.

Na autarquia, os embaixadores foram recebidos pelo superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Elilde Menezes, que fez uma apresentação sobre as diretrizes do modelo Zona Franca de Manaus, o polo industrial implantado na capital amazonense e as principais oportunidades de investimentos na região. O superintendente abordou também projetos estratégicos desenvolvidos pela SUFRAMA, como o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) e o Centro de Ciência, Tecnologia e Inovação do PIM (CT-PIM), e convidou a comitiva estrangeira a participar da sexta edição da Feira Internacional da Amazônia (FIAM 2011), que será realizada entre os dias 26 e 29 de outubro, em Manaus.

Após a apresentação, os representantes dos países árabes agradeceram a oportunidade de visitar a SUFRAMA e tiraram dúvidas iniciais sobre os dados mencionados na palestra. Os questionamentos focaram principalmente temas como os incentivos fiscais e locacionais do modelo ZFM, o grau de industrialização dos processos produtivos do PIM e os impactos da interação da indústria regional com o meio ambiente.

Ao final da reunião, a SUFRAMA e a comitiva árabe reforçaram a intenção de estreitar as relações de cooperação por meio de acordos bilaterais a serem discutidos posteriormente com as representações diplomáticas de cada país. Os acordos contariam ainda com a intermediação da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira.

De acordo com o embaixador da Jordânia no Brasil, Ramez Goussous, o Brasil é uma das principais estrelas do cenário econômico mundial na atualidade e tem tudo para se consolidar entre as maiores economias do planeta nos próximos anos. Quanto às peculiaridades da região, ele pareceu positivamente surpreendido com o trabalho desenvolvido pelo CBA, sobretudo no que tange a projetos em andamento no Centro que visam ao desenvolvimento de medicamentos anticancerígenos e de combate a doenças negligenciadas, como a tuberculose, a partir de ativos da biodiversidade amazônica.

Para o embaixador do Sudão no Brasil, Abd Elghani Elnaim Awad Elkarim, a Zona Franca de Manaus é um projeto importante não apenas pelo seu cunho econômico, mas também pelo aspecto social, uma vez que gera muitos benefícios para a região. Ele afirmou ainda que, além dos itens com alto valor agregado produzidos no PIM, produtos regionais como o guaraná e o açaí também contam com boas possibilidades de inserção no mundo árabe. “Seriam produtos interessantes para o mercado dos países árabes”, afirmou.

Segundo o superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da SUFRAMA, Elilde Menezes, a autarquia está aberta a qualquer tipo de parceria com os países árabes e ficará à disposição das representações diplomáticas para dar continuidade às discussões de cooperação. “A visita da comitiva demonstra que o Brasil e a Amazônia despertam cada vez mais o interesse de investidores estrangeiros. Da nossa parte, faremos todo o possível para avançarmos nas relações de negócios e colaboração mútua”, afirmou Menezes.