Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA dá início à estruturação de Ouvidoria

Notícias

SUFRAMA dá início à estruturação de Ouvidoria

Diário Oficial da União já trouxe o nome da titular do setor, que foi implementado a partir da nova estrutura regimental da autarquia.
por Layana Rios publicado: 19/04/2016 16h01 última modificação: 19/04/2016 17h10

A superintendente da Zona Franca de Manaus, Rebecca Garcia, nomeou, na semana passada, a advogada Márcia Maria Cota do Álamo para o cargo de Ouvidora da SUFRAMA. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) do dia 13 de abril.

Márcia, que já atuava na autarquia como coordenadora-geral de Recursos Humanos desde fevereiro, tem agora a missão de estruturar a Ouvidoria, unidade recém-criada na SUFRAMA pelo Decreto nº 8.639, de 15 de janeiro deste ano, que aprovou a nova estrutura regimental da instituição e o quadro demonstrativo dos cargos em comissão e das funções gratificadas.

O Decreto, em seu artigo 14, estabelece que a Ouvidoria tem a função de "receber, examinar e dar encaminhamento a reclamações, elogios, sugestões e denúncias referentes a procedimentos e ações de agentes e órgãos, e atender às solicitações de acesso à informação, conforme dispõe a Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011, no âmbito da SUFRAMA".

Para a superintendente Rebecca Garcia, a criação da Ouvidoria atende a uma demanda antiga da Controladoria-Geral da União (CGU) e servirá como canal de aprimoramento do relacionamento da SUFRAMA com seus diversos públicos. "Teremos condições de receber um feedback da sociedade para melhorar a prestação dos nossos serviços não apenas em Manaus, mas em toda a área de abrangência da autarquia", afirmou.

De acordo com Márcia Álamo, os passos para a estruturação da Ouvidoria já foram iniciados e incluem a busca de uma sala adequada dentro da sede da SUFRAMA para receber as demandas e dar início aos atendimentos. "Existem regras determinadas para a estruturação de uma Ouvidoria. Vamos buscar todas as informações junto à CGU para prepararmos nossa unidade em conformidade com os padrões do governo federal", disse a ouvidora.