Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA e CT-PIM lançam marco inaugural do parque tecnológico

Notícias

SUFRAMA e CT-PIM lançam marco inaugural do parque tecnológico

No local deverão ser executadas atividades de pesquisa e desenvolvimento, bem como a geração, o domínio e a aplicação de conhecimentos avançados na área de Microssistemas.
publicado: 20/12/2010 00h00 última modificação: 28/04/2016 16h57

O marco inaugural do Parque Tecnológico do Centro de Ciência, Tecnologia e Inovação do Polo Industrial de Manaus (CT-PIM) visa promover e executar atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D), bem como a geração, o domínio e a aplicação de conhecimentos avançados na área de Microssistemas. Lançado no dia (16), no Distrito Industrial, o empreendimento também deverá atrair incubadoras de empresas com interesse em desenvolver produtos e serviços tecnológicos para a sociedade.

Segundo a superintendente da Zona Franca de Manaus, Flávia Grosso, “o marco inaugural representa o crescimento e o fortalecimento da base tecnológica do Polo Industrial de Manaus (PIM) e a atração de investimentos que transformem pesquisas de protótipos em serviços e produtos”. Flávia Grosso também destacou que “a criação da sede própria do CT-PIM, com a área para incubadoras, irá multiplicar o interesse de empresas e pesquisadores em investir nessa área”.

O diretor-geral do CT-PIM, Admilton Pinheiro Salazar, citou o Okena (auto-rádio) como exemplo de produto patenteado que foi desenvolvido pelo Centro, em parceria com uma grande empresa. Salazar também enfatizou a importância do investimento em tecnologia ao dizer que “só há desenvolvimento econômico se houver desenvolvimento tecnológico”. Ele ressaltou ainda que o investimento em capital intelectual é um fator importante para a atração de novas empresas para o Polo.

O marco inaugural do CT-PIM, localizado na Rua A, acesso ao Conjunto Nova República, está estimado em R$ 30 milhões exceto a Unidade de Fabricação de Microssistemas. O projeto prevê que parte dos recursos financeiros sejam provenientes da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), sendo que a liberação depende do governo federal, e o restante, oriundo de outros entes públicos e da iniciativa privada, em especial, dos aportes de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) das empresas fabricantes de bens de informática do Polo Industrial de Manaus (PIM).

No projeto-base está prevista a construção da Unidade de Gestão Estratégica (UGE), Unidade de Desenvolvimento Empresarial (UDE), Unidade de Referência para Fabricação de Microssistemas (URF), Unidade de Referência em Inovação (URI) em Microssistemas e a Área Central Comum (ACC). A primeira a ser construída será a UGE, que demandará um montante de R$ 4,5 milhões – desse valor, a autarquia destinará R$ 2,5 milhões.

A área a ser ocupada pelo empreendimento mede 369.086,75 metros quadrados e foi cedida pela SUFRAMA. O parque tecnológico terá capacidade para reunir 35 empresas incubadas das áreas de fabricação de Circuitos Integrados (CI´s), Microssistemas e de base tecnológica na Unidade de Desenvolvimento Empresarial. Outras poderão ser instaladas em áreas específicas para atração de investimentos, o que deverá elevar o número de empresas para 50.

As obras devem iniciar em janeiro de 2011 e, de acordo com Salazar, “a expectativa é que até o final do ano a primeira UGE já esteja pronta”. No entanto, estima-se que a construção total do parque tecnológico seja concluída em oito anos.