Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA e Peru buscam avançar na integração comercial e produtiva

Notícias

SUFRAMA e Peru buscam avançar na integração comercial e produtiva

Reunião entre autarquia, comitiva peruana e representantes da Abraciclo deu continuidade às discussões de intercâmbio comercial e produtivo entre a ZFM e o Peru, com ações inclusivas ao segmento de Duas Rodas
por Diego Queiroz publicado: 23/11/2017 18h42 última modificação: 23/11/2017 18h45

O superintendente da SUFRAMA, Appio Tolentino, reuniu-se nesta quinta-feira (23), na sede da autarquia, com uma comitiva peruana liderada pelo Embaixador do Peru no Brasil, Vicente Rojas, e o presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), Marcos Fermanian, para dar continuidade às discussões de intercâmbio comercial e produtivo entre a Zona Franca de Manaus (ZFM) e o Peru, a partir de estratégias de integração que envolvam, inclusive, a indústria de partes e peças e o Polo de Duas Rodas da Zona Franca de Manaus.

A reunião ocorre em meio à programação da "VII Missão Comercial e Logística Peru – Amazonas", iniciada nessa quarta-feira (22), no Hotel Quality, em Manaus, com uma série de palestras, seminários e rodadas de negócios. Além do embaixador Vicente Rojas, a comitiva peruana presente à reunião desta quinta-feira na SUFRAMA foi composta pelo cônsul do Peru em Manaus, Gonzalo Enrique; pelos dirigentes das Oficinas Comerciais do Peru no Exterior, ligadas ao Ministério de Comércio Exterior e Turismo, Antonio Castillo e Percy Sanchez; pelos congressistas da República do Peru, Jorge Enrique Melendez e Janet Sanchez; e pelo assessor de Assuntos Econômicos da Embaixada do Peru, Carlos Rios.

O superintendente Appio Tolentino voltou a destacar a importância de uma maior integração entre os dois países, uma vez que o aprimoramento da logística inter-regional - presenciada durante missão da SUFRAMA, no mês de outubro, ao Porto e à Zona Especial de Desenvolvimento ZED Paita, no Peru - pode contribuir diretamente para o aumento das exportações e das importações de diversos produtos e para o avanço nos esforços de complementariedade comercial e produtiva. "Nós não somos concorrentes, somos todos da mesma região e temos tudo para avançar. Somos um grande país amazônico. As barreiras, até mesmo as de ordem jurídica, são adaptáveis e superáveis. Portanto, essa conversa é muito importante para conseguirmos construir soluções e estabelecer um cronograma de ações concretas", afirmou Tolentino.

O embaixador do Peru no Brasil, Vicente Rojas, disse que o crescimento do Peru passará necessariamente pelo desenvolvimento comercial e pela ampliação de investimentos produtivos. Ele ressaltou que o Peru não possui ainda em seu portfólio produtos tecnológicos de ponta, mas que existem, sim, produtos de qualidade atualmente exportados para todo o mundo, tais como o fosfato e alimentos. Já os representantes do Ministério de Comércio Exterior e Turismo do Peru e os congressistas da República, além de reconhecerem a competência tecnológica do Polo Industrial de Manaus, colocaram-se à disposição para apoiar qualquer iniciativa legislativa que venha apoiar a integração comercial e produtiva do Brasil com o Peru.

Exportações

Outro assunto discutido durante a reunião foi a possibilidade de ampliação das exportações do Polo de Duas Rodas para o mercado peruano e a transferência de tecnologia entre a Zona Franca de Manaus e a Zona Franca de Iquitos, no Peru. As exportações, atualmente, estão limitadas devido ao fato de os produtos oriundos da Zona Franca de Manaus serem reconhecidos pelo Peru como de terceiro país - caso reconhecidos como produtos brasileiros, os mesmos teriam sua competitividade ampliada. "Estamos buscando avançar nas negociações em torno do Acordo de Complementação Econômica N° 58, pois isso poderia facilitar muito nas possibilidades a serem construídas. Vamos analisar as especificidades e identificar o que é interessante para ambas as partes avançarem dentro do Acordo", disse o superintendente da SUFRAMA.

O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, disse acreditar ser viável intensificar negócios com o Peru, uma vez que a América do Sul é, atualmente, o principal mercado para as motocicletas do PIM. "Deveremos fechar este ano com um volume de aproximadamente 80 mil motos exportadas, das quais 70% são para o mercado da Argentina e o restante é dividido entre os demais países da América do Sul. Temos total interesse em ampliar esse volume", afirmou.

O superintendente Appio Tolentino também afirmou que encaminhará aos diplomatas e representantes do governo peruano uma lista com os bens finais fabricados pela Zona Franca de Manaus para avanços nos esforços de complementariedade industrial e comercial.

registrado em: , , , ,