Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA encerra participação exitosa no projeto Nanoforumeula

Notícias

SUFRAMA encerra participação exitosa no projeto Nanoforumeula

O projeto teve como objetivo fomentar o intercâmbio entre instituições de pesquisa em micro e nanotecnologia do continente sul-americano e da Europa.
por Diego Queiroz publicado: 06/04/2010 00h00 última modificação: 09/05/2016 12h10

Única representante da América do Sul no projeto Nanoforumeula (Nanofórum União Européia e América Latina), a Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) recebeu no mês de março as congratulações da Universidade de Twente (Holanda), coordenadora do projeto, pelo desenvolvimento bem-sucedido da parceria em prol da divulgação da micro e nanotecnologia na América Latina e congregação de cientistas de diversos países para discussões sobre a nanociência na região.

O projeto Nanoforumeula, iniciado em 2008 e finalizado no início de 2010, teve como objetivo fomentar o intercâmbio entre instituições de pesquisa em micro e nanotecnologia do continente sul-americano e da Europa, contribuindo para aumentar a visibilidade na América Latina dos Programas-Quadro da União Européia de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico (FP6 e FP7).

O Fórum foi um consórcio financiado pela Comunidade Européia para o qual a SUFRAMA foi convidada devido principalmente ao trabalho com a revista eletrônica do Polo Industrial de Manaus (PIM), Minapim-News, criada pela autarquia como forma de disseminar informações relacionadas à bio, micro e nanotecnologia. A revista é a única da América Latina especializada no tema, com tradução do português para o inglês e o espanhol.

As atribuições da SUFRAMA no projeto incluíram, além das ações de divulgação na revista Minapim-News, a organização de três workshops nas cidades de Campinas, Belo Horizonte e Recife, que contaram com alta representatividade das instituições presentes no fórum.

Para o desenvolvimento das atividades, a SUFRAMA recebeu recursos de aproximadamente cem mil euros. No processo de prestação de contas, a autarquia foi a única instituição entre todas as participantes do projeto a ter seu programa de ações aprovado sem ressalvas.

Segundo o Relações Institucionais para Assuntos Tecnológicos da Suframa, Hernan Valenzuela, o consórcio contou com instituições do México, Brasil, França, Alemanha e Espanha, possibilitando que cientistas de diferentes regiões e culturas pudessem contribuir com as discussões para o avanço da ciência. “O que se objetivou nesse consórcio foi unir diferentes linhas de pensamento científico na busca por novos materiais com base na nanotecnologia, para que assim pudéssemos chegar a resultados mais rápidos e inovadores”, apontou Valenzuela. “É importante destacar que o MINAPIM não tem atividades específicas de pesquisa, mas tem se convertido em ponto de encontro de ciência e se conectado mundialmente e nacionalmente com essa área, inserindo a SUFRAMA dentro da lógica da prática da tecnologia”, afirmou o representante da autarquia.