Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA estuda viabilidade de entreposto em Tocantins

Notícias

SUFRAMA estuda viabilidade de entreposto em Tocantins

Representantes de Tocantins estiveram em Manaus divulgando para o empresariado local as oportunidades de investimento na unidade da Federação que é apresentada como novo norte para investimentos no País.
publicado: 03/08/2012 00h00 última modificação: 16/03/2016 16h52

Com a assinatura do protocolo de intenções entre o governo do Amazonas e o de Tocantins, visando à implantação de um entreposto da Zona Franca de Manaus em Praia Norte – formalizado nesta sexta-feira (3) – a Superintendência do modelo (SUFRAMA) deve enviar uma missão ao local, no extremo norte de Tocantins, para realizar estudos de viabilidade da iniciativa. “Em princípio, a própria localização geográfica de Tocantins aponta para a conveniência da medida, mas precisamos confirmar isso in loco, com estudos embasados”, disse o superintendente adjunto de operações da autarquia, José Adílson.

O vice-governador de Tocantins, João Oliveira, e o secretário da indústria e do comércio do estado, Paulo Massuia, estiveram em Manaus, divulgando para o empresariado local as oportunidades de investimento na unidade da Federação que é apresentada como novo norte para investimentos no País. “O Tocantins é de vocês. A construção do Ecoporto de Praia Norte vai gerar ganhos para o desenvolvimento de todos, tanto do nosso Estado quanto do empresariado de Manaus. Tudo que pedimos de vocês é um apoio firme a essa ideia”, disse Oliveira.

Durante sua apresentação, o secretário Paulo Massuia apresentou números, baseados em estudos de 2010, que apontam que, com o entreposto em Praia Norte, o custo do frete para envio de mercadorias para o sul do País, a partir de Manaus, pode ficar de 17% a 33% mais barato. “E olha que não levamos em conta o valor do seguro. Optar por uma rota pelo ecoporto de Praia Norte significará reduzir o trecho rodoviário a ser percorrido, e sabemos que a maioria dos roubos de mercadorias ocorre nas estradas. Assim, o valor do seguro também cairá consideravelmente”, disse Massuia.

Metas
O ecoporto já está com a obra licitada, aguardando a liberação da licença ambiental para iniciar e, no projeto, há previsão de uma área de 50 mil metros quadrados para o entreposto da ZFM. “Temos confiança na viabilidade da proposta e já reservamos o espaço”, explicou o secretário.

O trunfo para o empresariado do Polo Industrial de Manaus, segundo Massuia, seria o fato de que boa parte da ferrovia Norte-Sul já está concluída em Tocantins. “Hoje já é possível sair de Palmas e ir até Itaqui (porto de São Luís, no Maranhão) por via ferroviária e a meta é que seja possível ir até São Paulo”, anunciou.

Estudos do governo de Tocantins apontam que o transporte de 1 tonelada de carga, saindo de barco de Manaus até Belém (PA) e seguindo da capital paraense até Campinas (SP) por via rodoviária, custa, em média, R$ 480,00. Com a conclusão da Norte-Sul, ligando Praia Norte a Campinas, a mesma tonelada seria 33,3% mais barato, saindo de Manaus até Tocantins por barco e seguindo para São Paulo de trem.

registrado em: , ,