Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA prestigia discussões da Conferência Internacional “Financiando a Economia Verde e o Desenvolvimento Sustentável”

Notícias

SUFRAMA prestigia discussões da Conferência Internacional “Financiando a Economia Verde e o Desenvolvimento Sustentável”

Representantes da autarquia participaram do evento, que foi realizado na sede do BNDES, no Rio de Janeiro, e integrou a programação da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).
por Diego Queiroz publicado: 20/06/2012 00h00 última modificação: 18/03/2016 17h45

O superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da SUFRAMA, José Nagib, e o assessor especial do gabinete da superintendência, Oldemar Ianck, participaram na tarde dessa terça-feira (19) da conferência internacional “Financiando a Economia Verde e o Desenvolvimento Sustentável”. O evento foi realizado na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro, e integrou a programação da Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20).

Organizada pelo BNDES, órgão que assim como a SUFRAMA compõe a estrutura do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a conferência teve o objetivo de avaliar e reafirmar as estratégicas dos bancos de desenvolvimento mundiais e dos organismos multilaterais na concepção de propostas de crescimento econômico aliado à sustentabilidade ambiental. A solenidade de abertura foi comandada pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, que, além de destacar a importância dessa discussão no contexto da Conferência Rio+20, afirmou que a presença expressiva de executivos de agências de desenvolvimento e de fomento de diversas partes do mundo, incluindo Ásia e União Europeia, irá contribuir efetivamente para a identificação de mecanismos inovadores voltados ao financiamento de propostas de desenvolvimento sustentável.

Segundo o superintendente adjunto José Nagib, a participação da autarquia no evento foi de grande valia, pois a instituição presenciou discussões de grande nível técnico e pôde aprofundar seu conhecimento sobre as diretrizes da economia verde, que tem a inclusão social como um de seus fatores mais positivos. “Essa foi uma ocasião oportuna para discutir e avaliar as ações que estão sendo pensadas para o desenvolvimento sustentável da América Latina. Um dos conceitos discutidos e que se encaixam com a realidade da Amazônia é que a questão central a ser trabalhada não é a pobreza, mas sim a distribuição de renda e a forma como essa distribuição está sendo feita”, afirmou Nagib. “A questão ambiental é um caminho que devemos seguir para trabalhar o desenvolvimento sustentável da região, mas não de forma isolada, e sim de uma maneira que inclua e agregue ao desenvolvimento humano”, complementou.