Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA realiza exposição institucional na Petronor 2011

Notícias

SUFRAMA realiza exposição institucional na Petronor 2011

Evento contou com a presença de delegações empresariais do Brasil e de outros países da América do Sul.
publicado: 18/07/2011 00h00 última modificação: 11/04/2016 17h21

A participação da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) na PetroNor 2011 – Encontro Internacional sobre Petróleo e Gás – foi um importante momento para divulgação dos benefícios fiscais do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM). Organizado pela Rede Petro Brasil, com o apoio de convênio firmado entre a Petrobras e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o evento contou com a presença de delegações empresariais do Brasil e de outros países da América do Sul.

Em seu estande institucional localizado no Salão de Exposição, houve a distribuição de folheteria sobre o modelo ZFM e a sexta edição da Feira Internacional da Amazônia (FIAM 2011), que acontece no período de 26 a 29 de outubro, em Manaus. Além disso, os visitantes receberam exemplares da revista SUFRAMA HOJE, com matérias abordando as conquistas do modelo e ações promovidas pela autarquia com foco no desenvolvimento socioeconômico da região.

A autarquia foi uma das instituições convidadas a participar da mesa redonda “Políticas de Atração de Investimentos: Incentivos Aplicados para Empresas – Casos de Sucesso na Amazônia Brasileira”. Na ocasião a coordenadora geral de Estudos Econômicos e Empresariais da SUFRAMA, Ana Maria Souza, proferiu a palestra “Zona Franca de Manaus: novos cenários, o desenvolvimento e a qualificação de mão de obra nos novos polos econômicos”.

Um dos focos da palestra foi a necessidade de qualificação de mão de obra para atuação no segmento de Petróleo como pilar importante para o avanço dessa atividade industrial no Amazonas. Outro aspecto abordado foi a importância do apoio a empreendimentos baseados no beneficiamento do gás natural. “A SUFRAMA compreende a importância da formação da cadeia produtiva de petróleo e gás natural, um dos potenciais polos econômicos do Estado”, frisa a coordenadora.

Entre os empreendimentos indicados como sendo de maior viabilidade, destaque para o polo de fertilizante e produção de tintas e vernizes. “Além do que a cadeia produtiva do petróleo tem forte ligação com o Arranjo Produtivo Local (APL) da construção naval no Estado, uma vez que este deve trabalhar as guarnições das embarcações petrolíferas construídas, bem como outras ramificações junto aos estaleiros regionais”, destaca Ana Maria Souza.

Cerca de 800 pessoas participaram do PetroNor 2011, que contou com uma extensa programação, incluindo exposição, rodadas de negócios e conferências. Estiveram presentes no evento delegações empresariais do Peru, Bolívia, Venezuela, Equador e Colômbia.