Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA vai apresentar Plano Diretor Industrial em reunião do CAS

Notícias

SUFRAMA vai apresentar Plano Diretor Industrial em reunião do CAS

O documento visa a fortalecer e aprimorar o modelo Zona Franca de Manaus tendo em vista a prorrogação da vigência dos incentivos fiscais até 2073.
por Enock Nascimento publicado: 24/08/2016 16h04 última modificação: 24/08/2016 18h46

Na 275ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da SUFRAMA (CAS), que ocorrerá na manhã desta sexta-feira (26), no auditório Floriano Pacheco, a autarquia irá apresentar o "Plano Diretor Industrial (PDI): Diretrizes Táticas para a Área de Atuação da SUFRAMA (2017-2025)". O documento, resultado de seis meses de estudos e discussões entre técnicos da autarquia e representantes da sociedade civil, visa a fortalecer e aprimorar o modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) tendo em vista a prorrogação da vigência dos incentivos fiscais até 2073.

Segundo a superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, a elaboração do Plano Diretor Industrial foi uma das primeiras ações que solicitou à equipe técnica da autarquia no momento em que assumiu a gestão da SUFRAMA, em outubro do ano passado. De acordo com ela, o PDI representa uma ação de planejamento plenamente utilizada por grandes corporações para dimensionar suas necessidades e empreender medidas de acordo com as expectativas de crescimento das suas atividades, em curto, médio e longo prazo.

“Nenhuma organização toma nenhuma decisão hoje sem levar em conta onde ela quer chegar amanhã. Se uma empresa, por exemplo, quer vender seus produtos para outro país daqui a cinco anos, ela, no presente, adota passos como conhecer o mercado, o público, tenta fazer acordos comerciais. Esse tipo de planejamento também pode ser usado na gestão pública para se definir com mais segurança quais ações devem ser adotadas agora tendo em vista o futuro”, explica.

Áreas estratégicas
Como primeira etapa para a elaboração do PDI, a SUFRAMA, por meio da Coordenação Geral de Estudos Econômicos e Empresariais (Cogec), identificou oito áreas temáticas do seu Plano Estratégico que estão direta ou indiretamente relacionadas ao setor industrial e, em seguida, redigiu propostas iniciais das diretrizes táticas para orientar as ações da autarquia em seu planejamento operacional de curto prazo. Posteriormente, a fim de coletar as contribuições da sociedade civil, a SUFRAMA realizou, em fevereiro deste ano, o painel de debates “Zona Franca de Manaus: 2016-2036 – das perspectivas à concretude de ações”, que reuniu representantes das classes empresariais e trabalhadoras e do setor de Ciência e Tecnologia para discutirem os desafios e oportunidades relacionados à evolução do modelo de desenvolvimento ZFM.

A partir dos gargalos e desafios destacados e das sugestões apresentadas no evento, a equipe técnica da Cogec produziu a primeira versão do Plano Diretor Industrial, com 42 diretrizes táticas. Após inclusão das contribuições das demais unidades administrativas da autarquia e da avaliação e revisão pela Administração Superior, chegou-se a 31 diretrizes táticas distribuídas em oito áreas temáticas estratégicas: Desenvolvimento Organizacional; Gestão de Incentivos Fiscais; Logística; Ciência e Tecnologia; Atração de Investimentos; Inserção Internacional; Capital Intelectual e Empreendedorismo; e Desenvolvimento Produtivo. Essas diretrizes foram elaboradas objetivando dinamizar a economia regional dentro de um cenário de tempo que começa em 2017 e vai até 2025.

No item Desenvolvimento Organizacional, por exemplo, busca-se o aperfeiçoamento das rotinas de trabalho da autarquia que elevem a eficiência e a efetividade dos serviços administrativos relacionados aos investimentos e facilitem o fluxo de informações para os seus usuários. Assim, estão previstas a implementação de ações como a criação de um sistema de avaliação por parte dos usuários dos serviços da SUFRAMA e a criação de Serviço de Atendimento ao Usuário do Sistema SUFRAMA (SAC-SUFRAMA). Já no tópico de Desenvolvimento Produtivo, a principal medida é a plena implementação, o monitoramento, a avaliação e o desenvolvimento do Programa Zona Franca Verde. Entre os atos previstos na área temática Atração de Investimentos, está a identificação de segmentos produtivos estratégicos para o desenvolvimento econômico regional. Estudos anteriores já apontaram segmentos potenciais como Gás-químico, Petroquímico e Fertilizantes. Para a equipe técnica que elaborou o PDI, devem ser priorizados segmentos cujos produtos utilizem preponderantemente matéria prima de origem regional, tendo em vista a instalação de indústrias nas áreas de fármacos, cosméticos ou alimentação nas Áreas de Livre Comércio administradas pela SUFRAMA.

“O PDI será uma importante ferramenta para auxiliar a SUFRAMA a continuar realizando sua missão de promover o desenvolvimento sustentável da região”, concluiu a superintendente.