Você está aqui: Página Inicial > Notícias > SUFRAMA vai custear estudo sobre Polo Naval

Notícias

SUFRAMA vai custear estudo sobre Polo Naval

Autarquia irá investir R$ 800 mil para financiar um estudo técnico e científico sobre as potencialidades do Polo Naval do Amazonas. O estudo irá nortear as decisões do poder público na implantação e estruturação do complexo da construção náutica e naval do Estado.
por Enock Nascimento publicado: 16/10/2012 15h39 última modificação: 14/03/2016 15h39

A Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) irá investir R$ 800 mil para financiar um estudo técnico e científico sobre as potencialidades do Polo Naval do Amazonas. O estudo irá nortear as decisões do poder público na implantação e estruturação do complexo da construção náutica e naval do Estado.

De acordo com o edital para chamamento público, o prazo para receber as propostas das instituições interessadas em participar do processo de seleção vai até o dia 25. O estudo deve conter os seguintes dados: análise do mercado para determinar a demanda pela implantação do polo, o atendimento da demanda e a potencial concorrência; viabilidade financeira para se calcular a rentabilidade e o tempo de retorno dos investimentos previstos; viabilidade socioeconômica e socioambiental, viabilidade técnica e prospecção tecnológica bem como um projeto básico.

A consolidação e estruturação do Polo Naval do Amazonas é um projeto da SUFRAMA, do Governo do Estado, em parceria com sindicatos de empresas e trabalhadores além de instituições de fomento, pesquisa e desenvolvimento. O projeto está saindo do papel. De acordo com o Governo do Estado, a implantação do Polo Naval - na região do Puraquequara, Zona Leste de Manaus - deve gerar, em um primeiro momento, em torno de 10 mil empregos diretos e movimentar negócios de aproximadamente R$ 3 bilhões com a construção de barcos esportivos e de luxo, lazer, turismo, além de flutuantes, balsas e pequenas embarcações. A previsão de conclusão da primeira etapa é de até três anos.

A área também deve servir para planta industrial de novo porto para Manaus, planta industrial de um mineroduto para escoamento da produção de caulim, um porto de carga e descarga, um aeroporto militar e de cargas, um grande estaleiro âncora de construção naval e offshore, um estaleiro da indústria militar, além de toda a infraestrutura social de apoio ao empreendimento como: sistema de transporte e acesso viário e energia fornecida pelo Linhão de Tucuruí. A Cidade Operária, por meio do Projeto Minha Casa, Minha Vida, vai dispor de serviços de saúde, segurança, comércio local e lazer.

O processo para a cessão da área por parte da União já foi iniciado, assim como os trâmites para licenciamento e regularização. No último dia 10, foi publicado no Diário Oficial do Estado o Decreto 32.875, pelo qual a área onde o Polo será instalado foi declarada área pública para fins de desapropriação dos terrenos de particulares bem como os estudos para a avaliação da indenização dos seus respectivos proprietários.

Exponaval/Sobena
As articulações para a atração de potenciais investidores para o Polo Naval do Amazonas são o eixo da participação da SUFRAMA no Exponaval/Sobena 2012, evento sediado no Rio de Janeiro, que se iniciou na segunda-feira, dia 15, e se estende até sexta-feira, dia 19. A autarquia, em parceria com Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan-AM) e o Serviço de Apoio a Micro e Pequena Empresa do Amazonas (Sebrae-AM) e estaleiros do Estado, expõe a um público especializado as vantagens fiscais concedidas às empresas que se instalam na Zona Franca de Manaus.

registrado em: , ,