Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Superintendente da SUFRAMA anuncia meta do Governo Federal em definir a institucionalização do CBA até o final do primeiro semestre

Notícias

Superintendente da SUFRAMA anuncia meta do Governo Federal em definir a institucionalização do CBA até o final do primeiro semestre

Definição da identidade jurídica do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) com a criação da empresa pública que ficará responsável pela gestão do órgão deve ser estabelecida até o fim de junho.
por Diego Queiroz publicado: 16/04/2012 00h00 última modificação: 23/03/2016 16h25

O superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira, disse nesta segunda-feira (16) que até o final do primeiro semestre deste ano o Governo Federal deverá concluir a definição da identidade jurídica do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) com a criação da empresa pública que ficará responsável pela gestão do órgão.

A declaração ocorreu durante entrevista coletiva concedida na sede do CBA, por ocasião da visita de deputados estaduais e federais representantes do Estado do Amazonas ao Centro. A visita, organizada pela Secretaria de Ciência e Tecnologia do Amazonas (SECT) em parceria com a SUFRAMA, teve o objetivo de apresentar à sociedade um panorama atual do CBA, fornecendo detalhes sobre sua infraestrutura, projetos em desenvolvimento e principais dificuldades operacionais.

Segundo Thomaz Nogueira, já existe uma minuta de Projeto de Lei referente à criação da empresa pública que gerenciará o CBA em tramitação no Governo Federal e a SUFRAMA está também, no momento, fornecendo subsídios para que sejam definidas diretrizes do modelo de gestão do Centro, dentre as quais questões como as formas de financiamento e captação de recursos, o ministério ao qual o órgão ficará vinculado diretamente e também a seguridade do vínculo profissional com seus funcionários.

O superintendente fez questão de ressaltar que o Governo Federal tem dado prioridade à resolução da institucionalização do CBA e que o estabelecimento da natureza jurídica do órgão será o principal passo para que ele ganhe plena autonomia em seus processos e possa se transformar no centro biotecnológico de agregação de valor aos produtos e insumos amazônicos nos moldes em que foi projetado. “É válido destacar que o CBA tem funcionado e desenvolvido projetos relevantes nos últimos anos, mas que por falta dessa definição em sua gestão, ainda não conseguiu caminhar sozinho. A SUFRAMA trabalha com uma missão e com um deadline e estamos otimistas de que no curto prazo essa solução seja encaminhada", disse.

O secretario de Ciência e Tecnologia do Amazonas, Odenildo Sena, disse que a ideia de realizar a reunião com os parlamentares amazonenses na sede do CBA teve o propósito de possibilitar a eles que conhecessem pessoalmente a realidade da instituição, a fim de que somem forças para auxiliar na solução dos problemas enfrentados pelo Centro. "O CBA está perto de completar dez anos de sua criação e é preocupante que uma estrutura desse porte, com tantos laboratórios e muitos deles únicos na região, ainda não esteja funcionando devido à ausência de uma ‘certidão de nascimento’. Precisamos trabalhar coletivamente para que essas definições sejam feitas com urgência e esse órgão, de tamanha relevância para a Amazônia e para o Brasil, funcione efetivamente", afirmou Sena.

Estiveram presentes na reunião os superintendentes adjuntos de Projetos da SUFRAMA, Gustavo Igrejas, de Planejamento e Desenvolvimento Regional, José Nagib, e de Operações, José Adilson, assim como os deputados da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) Abdala Fraxe, Marcelo Ramos, José Ricardo, Sidney Leite, Conceição Sampaio, Chico Preto, Luiz Castro, bem como o deputado federal Carlos Souza. Além de aproveitaram para fazer questionamentos e retirar dúvidas principalmente sobre tópicos como as atividades do Centro e seus resultados até o momento, a interação com a sociedade e as potencialidades futuras de atuação, todos os parlamentares reconheceram em suas falas a importância estratégica do CBA para a região. Eles sugeriram também, entre outras propostas, a realização de uma audiência pública em Brasília para dar agilidade às discussões visando à criação da empresa pública e também a redação de um manifesto em conjunto com entidades empresariais locais para dar sustentação política às solicitações pela urgência na definição da identidade jurídica do Centro.

O superintendente Thomaz Nogueira pediu também que os pesquisadores e coordenadores laboratoriais do CBA fizessem uma breve apresentação do funcionamento de suas unidades e os principais projetos em desenvolvimento. Os pesquisadores José Augusto Cabral, coordenador de Produtos Naturais, Maria Luiza Ricart, do Núcleo de Produção de Extratos e Planta de Processos Industriais, Célia Simonetti, do Núcleo de Informação Biotecnológica, Massayoshi Yoshida, da Central Analítica, Rudi Procópio, da Microbiologia, Tetsuo Yamane, de Biologia Molecular, Antônio José Lapa, de Farmacologia e Toxicologia e Aline Lauria, da Administração, auxiliaram também nas respostas aos diversos questionamentos feitos pelos deputados. Ao final da reunião, no fim da manhã, os parlamentares ainda visitaram os laboratórios de Química de Produtos Naturais e Culturas de Tecido, Cromatografia e Análise Analítica.

registrado em: ,