Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Superintendente da SUFRAMA conhece novas unidades de produção da Moto Honda

Notícias

Superintendente da SUFRAMA conhece novas unidades de produção da Moto Honda

Durante visita, a superintendente da autarquia destacou a importância da empresa para a Zona Franca de Manaus e a atitude da Moto Honda de continuar investindo na região, apesar da crise.
por Enock Nascimento publicado: 22/03/2016 16h25 última modificação: 22/03/2016 17h29

A superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, visitou nesta terça-feira (22) a fábrica da Moto Honda no Polo Industrial de Manaus (PIM) para conhecer as novas unidades de produção de tubo e de spin casting, inauguradas em novembro do ano passado. As duas unidades, que incrementarão a produção de componentes a serem utilizados na fabricação de motocicletas, quadriciclos e motores estacionários da empresa, receberam investimentos de R$ 48 milhões (tubo) e R$ 25 milhões (spin casting).

A superintendente destacou a importância da empresa para a Zona Franca de Manaus (ZFM) e a atitude da Moto Honda de continuar investindo na região, apesar da crise. “Não é a primeira vez que visito a Moto Honda e sempre que o faço há novas coisas a conhecer. A gente sempre se impressiona. Visitar uma empresa tão verticalizada também nos inspira a continuarmos mais engajados na defesa da ZFM e de lutar para a recuperação desse setor tão importante que é o de Duas Rodas”, destacou Rebecca Garcia.

A Moto Honda completará no dia 4 de novembro 40 anos de atuação em Manaus e, desde 2011, a empresa de origem japonesa já investiu R$ 1,1 bilhão em seu complexo industrial na capital do Amazonas. A Moto Honda de Manaus é a número 1 do mundo da marca em quantidade de processos industriais. A planta em Manaus possui 800 mil metros quadrados de área total, sendo 270 mil metros quadrados de área construída.

Atualmente, a fábrica produz um total de 33 modelos de motocicletas e também produz quadriciclos e motores estacionários. Entretanto, destacaram os diretores, a empresa está sofrendo com a crise que atinge o setor de Duas Rodas. Primeiro, devido à restrição de crédito e, atualmente, com a retração do mercado. Ano passado, a empresa operou com 135 linhas e 81 máquinas e atingiu a marca de 1.085 milhão de unidades. Para este ano, estão operando com 120 linhas e 62 máquinas, enquanto a expectativa é de produzir 854 mil unidades.