Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Superintendente Rebecca Garcia participa de reunião na Eletros para apresentação do PDI

Notícias

Superintendente Rebecca Garcia participa de reunião na Eletros para apresentação do PDI

Plano Diretor Industrial e demais ações estratégicas em execução pela autarquia, incluindo o projeto Zona Franca Verde, foram focos de apresentação da titular da SUFRAMA na sede da associação em São Paulo (SP)
por Diego Queiroz publicado: 04/10/2016 14h45 última modificação: 05/10/2016 02h07

A superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, participou nesta terça-feira (4) de reunião na sede da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletrônicos (Eletros), em São Paulo (SP), a fim de apresentar o estudo "Plano Diretor Industrial (PDI): Diretrizes Táticas para a Área de Atuação da SUFRAMA (2017-2025)". De acordo com informações de representantes da Eletros, foi a primeira vez em mais de dez anos que um superintendente da SUFRAMA esteve presente à sede da Associação.

A apresentação, resultante de convite da própria Eletros, teve como objetivo explicitar as diversas diretrizes que envolveram a elaboração do PDI e demais ações estratégicas em execução pela autarquia, incluindo o projeto Zona Franca Verde (ZFV). Participaram da reunião o presidente executivo da Eletros, Lourival Kiçula, o presidente do Conselho de Administração da Eletros, Armando Ennes, e dirigentes e executivos representantes de diversas fabricantes de eletrodomésticos e eletroeletrônicos de consumo associadas à entidade que atuam nos segmentos de linha branca, áudio e vídeo (linha marrom) e linha de portáteis em todo o País, incluindo Electrolux, Midea, Samsung, Whirpool, Panasonic, LG, Sony e Gibson, entre outras.

Durante a apresentação, Rebecca Garcia fez questão de associar a elaboração do PDI à necessidade da SUFRAMA de se adequar à revolução industrial – a partir de conceitos da Indústria 4.0 – que está ocorrendo em todo o mundo. “Nosso Plano Diretor Industrial contempla diversas áreas temáticas e diretrizes táticas, tais como Logística, Ciência e Tecnologia, Atração de Investimentos, Desenvolvimento Organizacional e Inserção Internacional, que estão associadas à Zona Franca de Manaus, à Amazônia Ocidental e ao projeto Zona Franca Verde, buscando integrar a instituição aos novos padrões globais de competitividade e integração tecnológica”, afirmou Rebecca.

Para ela, o PDI sinaliza uma clara iniciativa da autarquia com vistas a organizar sua estrutura interna, instruindo o planejamento de suas atividades e de suas rotinas de trabalho, ao mesmo tempo em que busca também a satisfação dos usuários dos seus serviços aliada ao desenvolvimento industrial em toda sua área de atuação. “Precisamos desburocratizar e modernizar a prestação de nossos serviços, para que o movimento da Indústria 4.0 encontre também um Governo 4.0. Aí sim conseguiremos entregar um país que esteja competitivo e ao alcance de todos”, complementou a superintendente. “A SUFRAMA tem trabalhado neste sentido e sabemos que o governo federal também está atento a esta questão. É muito importante que tanto o governo quanto a indústria vivam este novo momento para que possamos nos inserir cada vez mais no mercado internacional e nos fortalecer ao ponto de enfrentar períodos de crise com mais facilidade e robustez.”

A superintendente também discorreu sobre os esforços recentes da SUFRAMA para aprimorar os resultados de análise e aprovação de Processos Produtivos Básicos (PPBs) e também possibilitar maior transparência e efetividade à gestão dos recursos de Pesquisa & Desenvolvimento para fortalecimento do capital intelectual e estímulo a processos inovadores na região. Outro tema bastante comentado pela superintendente foi o comércio exterior, no que diz respeito, sobretudo, à disposição da SUFRAMA em discutir políticas que elevem as exportações do Polo Industrial de Manaus (PIM) e fomentem a integração comercial com países de interesse. “O que hoje já está na ZFM está consolidado, não queremos perder espaço, queremos, sim, fortalecer. Entendemos que a indústria precisa vender para fora, precisa exportar. Dentro do nosso Plano Diretor, entendemos a necessidade dos acordos bilaterais. A SUFRAMA acredita verdadeiramente que o PIM está saindo desse momento difícil, vamos aumentar nossa produção, vamos aumentar nossas vendas, mas não queremos continuar sendo reféns do mercado consumidor interno. Exportação e mercado internacional são hoje focos do trabalho da SUFRAMA pensando no futuro da Zona Franca de Manaus”, disse Rebecca.

Perguntas e respostas
A apresentação da superintendente foi seguida por uma sessão de perguntas e respostas junto aos associados da Eletros, durante a qual a superintendente ouviu demandas e interagiu com os diversos empresários presentes ao evento. O presidente do Conselho de Administração da Eletros, Armando Ennes, sugeriu que, a partir de 2017, seja construída uma agenda de trabalho mais intensa entre SUFRAMA e Eletros a fim de que o relacionamento interinstitucional possa ser aprimorado e resulte em soluções contínuas para a indústria regional e nacional. “O que queremos é um fórum para acertar as estratégias e alinhar o discurso. Queremos reuniões não apenas para reclamações, mas para pautas conjuntas e avanços”, destacou Ennes.

O presidente executivo da Eletros, Lourival Kiçula, agradeceu a presença da superintendente à reunião e destacou que a ocasião representou uma oportunidade única para trocar ideias e discutir e compartilhar projetos de interesse mútuo.

Ao final do evento, a superintendente Rebecca Garcia agradeceu o convite da Eletros e colocou à SUFRAMA à disposição para auxiliar a entidade em qualquer demanda relacionada à área de atuação da autarquia no âmbito do governo federal. “É um prazer conversar com todos vocês e, no que pudermos ajudar, seremos parceiros. Temos o entendimento de que um País forte não será construído sem uma indústria forte. É o setor que estamos priorizando e, quando aceitei o desafio de ir para a SUFRAMA, eu entendia que a economia não só do Estado, mas da região e do País como um todo, passa pelo bom desenvolvimento desse modelo econômico que sustenta a região, que é a Zona Franca de Manaus. Era um desafio bom, um desafio que eu queria me colocar à disposição, então o que estamos tentando é construir uma indústria forte que auxilie no crescimento de todo o País."