Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Venezuela e ZFM trabalham para incrementar relações comerciais

Notícias

Venezuela e ZFM trabalham para incrementar relações comerciais

Iniciativa seria baseada em ações de complementariedade entre o governo venezuelano e a SUFRAMA.
publicado: 04/03/2011 00h00 última modificação: 25/04/2016 15h25

Com o objetivo de fortalecer intercâmbio comercial entre Venezuela e Zona Franca de Manaus, mediante ações de complementariedade, representantes do governo venezuelano e da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), têm agendado diversos encontros presenciais e virtuais, como a videoconferência realizada nesta sexta-feira, para discutir aspectos do modelo ZFM e identificar potencialidades viáveis para ambas regiões.

O evento desta manhã contou com a participação de representantes do governo venezuelano: vice-ministro de Indústrias Intermedias, Carlos Faría; diretor geral de Relações Internacionais, Alfredo Rojas, diretor de Estudos Industriais, Camilo Rivero; chefe da missão do Instituto de Pesquisa Aplicada (IPEA) na Venezuela, Pedro Barros Silva, e de técnicos da Suframa: coordenadores da áreas de Comércio Exterior da Suframa - Gracilene Belota, de Acompanhamento de Projetos Industriais - Gustavo Igrejas, e de Análise de Projetos Industriais - José Lopo.

A finalidade da Suframa é estimular o aumento das exportações dos produtos do Polo Industrial de Manaus, que hoje se concentram nas preparações para bebidas, barbeadores descartáveis, papeis fotográficos, aparelhos celulares, interruptores e circuitos elétricos, entre outros. Por sua vez, os venezuelanos pretendem exportar mais para a ZFM, especialmente insumos para o PIM. Atualmente, o principal produto importado da Venezuela são as ligas de alumínio em forma bruta.

No último ano, o Amazonas exportou U$ 98.3 milhões para a Venezuela, e importou U$ 9.1 milhões, com um saldo de US$ 89.1 milhões, sendo a Venezuela o segundo país de destino das exportações do Amazonas de janeiro/2011, e o 34º país fornecedor de insumos para o Amazonas no mesmo período.

A próxima videoconferência está prevista para o final de março.